segunda-feira

Quando a virgindade se torna um problema

Apesar de eu pregar um discurso liberal que a mulher deva transar com quem quiser, com ficante/namorado e fazer tudo que ela tenha direito, nesse caso não consigo seguir esse discurso. Sempre fui uma pessoa muito romântica e insegura, para mim me envolver com homens onde moro é meio difícil, já fiquei algumas vezes e todas as vezes que eu queria algo sério, eles corriam como nunca, e principalmente por um motivo: Sou virgem (e muitos podem me perguntar: mas como isso aconteceu? Nos dias de hoje todo mundo transa! Porque então esperou tanto tempo?) para ficar bem claro, nem religiosa eu sou!!! Quando me perguntam sobre a minha virgindade eu respondo: Porque sempre quis ter um amor comigo, um cara que assumisse relacionamento sério e me respeitasse. Já namorei uma vez, mas não deu certo por questões de afinidade e não chegamos aos finalmente. Mas a questão é que o meu sonho sempre foi sair do Brasil e esse ano, irei para um intercambio fora do país, lá vou conhecer muita gente e soube que lá não é como aqui, que quando um europeu te beija, logo após vem o sexo. O que é muito diferente daqui, que a gente beija, beija e não precisa rolar nada... O que devo fazer? Depois que eu beijar, digo a ele que sou virgem, ou antes, de beijar dou um jeito de dizer ou não digo nada? Quero transar a muito tempo, mas não me sinto totalmente segura, meu maior medo é nunca encontrar alguém que me respeite o suficiente e assuma um namoro comigo, e acabar tendo que se eu quiser perder a virgindade, transar casualmente (coisa que nada me agrada) ou terminar morrendo virgem... Soube de casos de pessoas que tem 40 ou mais e são virgens...


Vejo que está em um impasse financeiro... rs. Dou ou não dou o meu tesourinho... rs. Acredito que tudo tem a sua hora e lugar para acontecer, se você não está preparada e porque ainda não conheceu alguém que lhe desse segurança para acabar com o seu dilema... Se fossem outros tempos, eu diria: que legal você ainda é virgem!!! Mas hoje essa situação é meio que assustadora... Quando eu era novo, gostávamos e não gostávamos de pegar as virgens, um dos motivos ruins é que a moça grudaria no pé como goma de chiclete e o lado bom é que sempre saberíamos que fomos o primeiro... Mas com o passar dos anos o conceito da virgindade foi se perdendo e hoje é raro encontrar uma virgem... Mas a preocupação masculina continua a mesma o homem tem dificuldade de evoluir...rs. Agora com relação a sua viagem não é bem assim, beijou tem que transar... Está certo que eles não ficam se beijando nas baladas, mas se esfregam como loucos...rs. O beijo é algo íntimo em outros países, então não se distribui com tanta frequência, geralmente é preciso ter algo mais envolvido, mas nem por isso é um sinal verde de que vai rolar transa... Então não precisa ficar revelando para todo mundo a sua condição sexual, deixe as coisas fluírem normalmente, mas não se apegue demais ao conceito da virgindade, pois não é tão importante, o que importa é o seu caráter e a vida para o bem que você leva... No passado tinham várias virgens de faixada, faziam de tudo, coisas que eram impróprias até para os adultos...rs. Mas mantinham o “tesourinho” imaculado e com isso continuavam se gabando de suas virgindades... Por isso eu digo de nada interessa a sua condição, o importante em quem você é... Se você fizer uma enquete com a mulherada à maioria irá lhe dizer que a primeira vez não foi tão boa assim e que as expectativas eram maiores do que o ato em si realizado... Lembre-se que nós fazemos nossas escolhas e não acredite naquela lengalenga embutida de que a primeira vez tem que ser especial, com um homem perfeito... A sua primeira vez tem que ser com alguém que lhe dê segurança e que você esteja a fim de fazer também, e não encane se o homem irá ou não ficar com você no futuro, porque senão for esse será outro, o importante é você estar bem consigo mesma e saber que a hora chegou... 

quinta-feira

Importante é a felicidade

Olá, Fred! Tenho 53 anos e casada há 35 anos. Casei-me jovem, virgem e com lindos sonhos! Imaginei mesmo uma vida maravilhosa. E tive apenas três meses de felicidade. Meu marido sempre me traia e me deixava sozinha, pois minha família morava no interior. A primeira vez que ele me traiu, eu tentei voltar para casa dos meus pais, mais um dos nossos padrinhos de casamento, me impediu dizendo que não poderia dar este desgosto para a família. Enfim depois de muita conversa meu marido me convenceu a ficar e por alguns meses ele se comportou... Depois disso vivi uma vida inteira de traições e fingindo ser feliz já que ele sempre se arrependia e pedia perdão. Depois de dois anos de casados tivemos nosso primeiro filho. Aí o sofrimento foi maior, meu filho tinha problemas de saúde e sempre que ele passava mal, eu estava sozinha, porque meu marido estava com outras... Vivi assim por vários anos, até ele se apaixonar pela vizinha da frente... Eu sobrevivi e aprendi a me amar e a enxergar que tudo o que eu passei com o meu marido eu não merecia. Dei a volta por cima, fiz isto por mim e meus filhos. Ficamos um ano separado, nesse tempo conheci várias pessoas, sai e me diverti, mas nunca levei ninguém a sério. Enquanto eu me recuperava e conquistava a minha felicidade, ele “quebrou a cara”, pois a garota o deixou. Ele quase enlouqueceu, me procurou, dei meu colo para ele chorar e com isso ficamos juntos... Mas eu nunca consegui esquecer e perdoá-lo. Logo depois fiz uma viagem com uma amiga e conheci uma pessoa, e me apaixonei. Ele era divorciado, mas não queria mais viver com ninguém e eu casada achei ótimo, pois com isso não precisava assumir um compromisso sério e nem destruiria a minha família novamente. Mantínhamos um namoro à distância, víamos pouco, pois morávamos em cidades diferentes, até que cansei desses encontros, não me sentia segura, então disse a ele que era melhor terminar e sermos apenas amigos, ele concordou... Foi então que o “bicho pegou”, passei a sentir a falta dele, ficava mandando mensagens de amor a todo tempo e ele ignorava. Sentia ciúmes dos comentários dele para outras garotas nas redes sociais realmente eu pirei... Mandei uma mensagem enorme cobrando o seu amor por mim, eu me humilhei e ele não respondeu, simplesmente me apagou do site. Aí essa semana eu criei coragem e apaguei os contatos dele. Foi quando ele me respondeu “Se você não fosse tão possessiva e pegajosa, poderíamos continuar bons amantes”. Por favor, me ajude a tirar este homem da minha  cabeça. Quero é preciso esquecê-lo para sempre.


Notei que seu marido não a interessa mais, que a sua relação virou apenas aparência e também que a sua autoestima é baixa, pois aceitou seu marido de volta facilmente, vejo também que a solidão e o medo de ficar sozinha a assusta... Acho que você precisa resolver essas pendências para poder ser livre para amar novamente, estando bem consigo mesma você terá forças para enfrentar qualquer adversidade que a vida te jogar no colo... Com relação ao amante acho que é só um capricho seu pela rejeição, porque quando você o tinha não importava muito, mas quando você deu um basta e ele aceitou prontamente, aquilo lhe corroeu e fez com que se sentisse sem importância e cismou em tê-lo novamente... Vou tentar ajudá-la a esquecer desse rufião; primeiro você tem que parar de fuçar a vida dele, não o procurar e nem saber o que ele tem feito ou deixa de fazer... Depois disso pense apenas nos defeitos dele, martele esses defeitos em sua cabeça como se você o mantra, mantenha-se ocupada, abra os olhos para o seu redor pode ser que a vida esteja divertida e você perdendo tempo com um mancebo que não te quer mais... Lembre-se que o tempo é a cura, então ajude o tempo a passar, cerque-se de pessoas do bem, saia com os amigos, abrace mais, faça exercícios, procure um hobby, sorria, estude, mude o visual, fique linda, compre roupas novas, faça uma viagem, dedique-se a família, foque no trabalho... Se você fizer algumas dessas sugestões propostas, logo o amor baterá a sua porta novamente e você vai estar mais preparada para ser feliz...

terça-feira

Relação relâmpago

Eu estava conhecendo um cara e fazia dois meses que conversávamos todo dia. Saímos e ficamos algumas vezes. Ele parecia um príncipe. Nesses dois meses de conversa, ele em todo o tempo dava indícios que queria namorar comigo, pois falava coisas como: “espero ser a tampa da sua panela”; estou me apaixonando por você’; ''qual foi o erro que seu ex. cometeu contigo para o relacionamento não dar certo? “Não quero cometer os mesmos erros”. Chegou até a me mandar fotos das amigas para que eu já fosse conhecendo. Como ele sempre me dizia essas coisas e eu estava começando a ter um sentimento por ele, no nosso último encontro resolvi perguntar se ele tinha alguma intenção de namorar comigo no futuro ou queria continuar como estávamos. Na hora, ele respondeu que queria namorar. No dia seguinte foi extremamente frio comigo, me evitou o dia todo e só à noite me mandou uma mensagem dizendo que só queria ter alguém para compartilhar bons momentos e curtir. Que não queria namorar e nem queria as “obrigações” do namoro, que para namorar precisava conhecer bem a pessoa, porque estava traumatizado com o ultimo relacionamento que foi sufocante. E eu fiquei me perguntando, por que o dito cujo não havia sido honesto comigo desde o início e porque ele me falou todas aquelas coisas bonitinhas. Sei que errei em ter feito a pergunta, mas não estava cobrando um namoro agora, só queria saber se a nossa "relação" tinha futuro, já que não gosto de ficar por ficar e estava me apaixonando. Eu mandei um texto para ele explicando que não estava forçando ele a me pedir em namoro, e que só perguntei sobre namoro pelas coisas que ele me vinha me dizendo. Confesso que me exaltei e disse que ele havia me magoado. Ele disse que ia sair da minha vida, que a vida seguia. E pareceu nem se importar muito com a minha tristeza. Após isso, eu sumi. Ele aparece de vez em quando para dar um oi, mas não rende assunto mesmo eu tentando puxar conversa. Outro dia ele me desejou bom dia e eu perguntei se ele estava bem e ele só me respondeu no dia seguinte, mas não me perguntou como eu estava. Sinceramente, não consigo entender o que se passa na mente dele para me dar oi e não render assunto. Queria entender o motivo para ele aparecer de vez em quando como quem não quer nada e depois dar um perdido. O que eu faço? Vale a pena ir atrás? Eu fico me sentindo culpada por ter feito a pergunta e por isso termos nos afastado. Tem duas semanas que só choro. Às vezes penso que se ele gostasse mesmo de mim não teria ido embora por conta de uma pergunta, já que ele deu indícios que queria algo sério. Eu estou errada? Ou ele só queria me fazer de lanchinho? Estou muito confusa e me sentindo culpada. Ajuda-me!

Você não está errada!!! Depois de dois meses de lengalenga você só quis saber qual o rumo que essa “pegação” iria tomar... O bom disso tudo é que acabou rápido e logo você descobriu quais eram as reais intenções do “frangote”... Se você estivesse na mesma “vibe” dele tudo bem ficar só na curtição, mas o que você quer é um relacionamento sério algo para construir a dois e ele está interessado apenas em dar uns beijinhos de vez enquanto e saquear o seu tesourinho...rs. Se ele quisesse namorá-la, ele já o teria feito, não ia deixar você dando sopa por aí sem um compromisso firmado, com relação as coisas que ele vinha lhe dizendo; os homens no início são assim; eles vomitam sentimentos e mais da metade deles sem sentir, falam o que vem a cabeça para agradar e conquistar; os homens demoram mais para expressar sentimentos verdadeiros, então quando estiver em um novo relacionamento sinta-se lisonjeada pelos elogios, mas não os leve tão a sério... Respondendo as suas perguntas: Não faça nada, não corra atrás dele, deixe-o seguir seu caminho e não se atenha em saber da vida dele, pare de choramingar como um inseto pelos cantos da casa e abra os seus horizontes para uma nova paquera, o tempo vai fazer você esquecê-lo e lhe trará alguém que realmente a mereça... 

segunda-feira

Salvando o Titanic


Estou com meu esposo há 23 anos. Começamos a namorar com 17 anos e casamos com 22. Casei grávida, mas já estávamos planejando o casamento há um ano e meio. Fomos os primeiros namorados um do outro. Sinto que ele me ama e eu também o amo, mas no ano passado tivemos uma briga que gerou muitas mágoas, ele chegou a terminar o casamento por mensagem. Na época nós havíamos emprestado um dinheiro a um parente e ele foi contra, mas eu insisti. A pessoa não honrou a dívida e eu não posso ter meu nome sujo porque sou gestora pública. A pessoa não tinha como pagar. Eu me propus a pagar e ela acertaria comigo em parcelas. Não fiz por ela, fiz pelo meu nome e pela minha condição profissional. Sei que não deveria ter emprestado nada desde o início, mas meu marido perdeu a cabeça, se descontrolou e praticamente estava inviabilizando qualquer solução que eu propunha. Chegou a dizer para eu me virar, mas se eu pagasse a dívida ele me largaria. Chegou até a gritar no telefone que tudo tinha acabado. Fiquei muito decepcionada e achei que tudo tinha acabado entre nós e para cessar as brigas eu disse que só falava com ele em juízo. Daí ele se deu conta do que estava acontecendo e conversamos. Eu o aceitei de volta, mas fiquei decepcionada, porque ele nunca deu sorte nos empregos que teve e eu banquei a nossa família por muito tempo sem me queixar. Temos dois filhos lindos e me senti injustiçada por não ter o reconhecimento por tudo de correto que fiz ao longo desses 18 anos de casamento... Querendo ou não ele atribuiu um valor para o nosso casamento, que é o valor da dívida. Ele poderia dizer que não me ajudaria e que eu deveria resolver, já que ele avisou e eu insisti no empréstimo. O problema é que ele não deixava resolver. Fizemos as pazes, mas eu esperava que ele me reconquistasse, sinto que para ele foi somente mais uma briga, ele age como se nada tivesse acontecido. Já faz um ano que isso ocorreu e eu acabei me distanciando dele, a nossa relação esfriou e agora ele está ficando barrigudo, está com um mau hálito terrível e não se cuida. Não tenho mais atração por ele e o sexo não tem emoção é sempre a mesma coisa... Enfim estou infeliz e não sei como conversar com ele. Já falei do racha que aquela briga provocou e que não senti mudança por parte dele, não sinto iniciativa, cheguei a falar para ele se cuidar, parece que ele não está nem aí... Ultimamente tenho recebido investidas de um colega também casado e isso está mexendo comigo, me deixando curiosa, não quero destruir o casamento dele e nesse momento não posso acabar com o meu porque de novo ele está desempregado e eu jamais o jogaria na rua. Ele praticamente não tem família. O que eu faço?

 
Eu vejo duas opções para o seu caso; a primeira é sentar e ter uma conversa séria e explícita sobre o assunto que a aflige e a outra é dar um tempo na relação para que ele sinta o que está perdendo sem você ao lado dele para quem sabe ele lhe dê o devido valor que você merece... Na segunda opção você tem que ser firme ele não pode voltar pelas palavras de arrependimento, tem que ser pelas atitudes sendo a solução começar de novo... Ele vai ter que reconquistá-la, convidar para sair, pegar um cinema, ir a restaurantes, barzinhos, terá que ser como um namoro inicial, ele terá que se mostrar digno de arrependimento e de confiança, ter a percepção do que vai perder estando longe de você e se não der certo e porque chegou o fim... O que não dá para acontecer e a sua insatisfação, todos nós temos direito a felicidade... Com relação ao seu suposto caso com o coleguinha de trabalho acho que não é a hora; primeiro motivo: ele também é casado, segundo: você já tem um “pepino domiciliar” para resolver então porque arrumar outro fora da casinha; terceiro: não dá para brincar de amante, pois eu acho que você vai se apaixonar e vai “babar” a brincadeira... Lembre-se, você tem uma família estabelecida, que já passou por vários problemas, alguns até piores do que esse que você vive no momento, saiba que eu sou sempre a favor da família, então pense um pouco e responda algumas questões: Você fez tudo pela família ou ainda dá para fazer algo para mantê-la unida? Você ainda o ama? O amor que sente por ele ainda é forte o bastante para que a relação ultrapasse esse “perrengue”? Vale a pena desfazer essa relação por uma aventura com o coleguinha? Como seus filhos irão ficar? Eu consigo perdoar e seguir em frente? Será que eu conversei o bastante e realmente esclareci as minhas insatisfações? Eu estou disposta a dar uma chance para a relação se ele verdadeiramente mudar ou estou apenas arrumando uma desculpa para me livrar do dito cujo? Respondendo a essas perguntas você terá uma base de qual atitude deverá tomar para alcançar a sua felicidade e digo mais; só entre em outra relação quando estiver zerada com a anterior, não dá para deixar amarras e âncoras do passado segurando o seu presente futuro...

terça-feira

O prazer pode apoiar-se sobre a ilusão, mas a felicidade existe através da realidade


Olá, Fred!!! Sei que preciso melhorar em alguns aspectos, mas o principal (que inclusive é o ponto forte da minha dúvida) é a ingenuidade. Conheci um rapaz pelo aplicativo “Adote Um Cara”. Falávamos via mensagem por cerca de dois meses até que nos conhecemos pessoalmente (estamos em estados diferentes). Logo que nos conhecemos, bateu aquela química e transamos; ficamos juntos um final de semana todo e nesse ínterim nos encontramos três vezes. Senti que aquilo era leve e me entreguei. Imaginei que seria algo de um final de semana só e deu. Porém eu me apaixonei e não sei mais o que fazer. Ele falou a frase "pensando em algo sério" comigo, mas sei que suas atitudes não combinam com isso e que provavelmente ele está me mantendo em sua geladeira como sanduíche. Ele falou que excluiria o perfil nesse aplicativo, mas não o fez. Aliás, pedi para uma amiga "dar em cima" dele no aplicativo e ele adorou, pediu até para conhecê-la. Ou seja, sou a idiota da história.


É fácil para você usar a palavra ingenuidade como desculpa ao se deixar enganar... A pessoa ingênua é aquela que possui simplicidade extrema, sem maldade, infantil, etc. que convenhamos não é o seu caso... Você tentou arrumar um (P.A) e se deu mal!!! Acabou se apaixonando e agora se vê nas mãos desse mancebo... Eu pergunto quem é que precisa procurar relacionamento em um aplicativo com o nome “adote um cara”? Isso parece comércio gratuito de sexo, além disso, você adotou um cara que mora e trabalha em outro estado, com isso você aumentou as possibilidades do fracasso... O que você precisa fazer é deixar de lado a tecnologia e passar a viver a vida real, sair com os amigos e curtir uma boa paquera de contato verdadeiro e sincero... Não queira culpar o cara, eu no lugar dele faria o mesmo... Uma mulher que mora longe e procura um aplicativo com o nome “adote um cara” e só para dar uma curtida e descartar... Em meus testes de relacionamento fiz algumas experiências em sites de “procura-se o amor”... rs. Basta ter um texto simpático, uma boa apresentação e com alguns dizeres amorosos e fofos que logo você pesca um peixão para o seu espeto... Ainda digo mais, se esse homem for de boa aparência e mandar uma carta de apresentação letrada e com tudo o que uma mulher gostaria de ouvir para 10 fulaninhas, aposto que ele recebe o retorno de 80%... Dessas oito mulheres que ele corte a metade por não gostar do perfil ou por outro motivo qualquer, vão sobrar quatro para o seu bel prazer... Vamos além, faz de conta que ele queira sair apenas para dar uma transadinha de primeira, se ele sair com essas quatro mulheres que lhe restaram pelo menos uma transariam com ele na primeira vez e um número bem razoável para um rapaz que não quer nada com nada... Acho muito arriscado conhecer alguém pelos sites de relacionamento, pois o meio virtual é uma terra de ninguém onde geralmente as pessoas são dissimuladas, mentirosas, falsas e controversas, usam da timidez como desculpa para se dar bem nesses tipos de sites. Vamos concordar!!! é muito mais fácil se mostrar através da escrita do que ao vivo e a cores. Antigamente quando não havia internet era difícil para o tímido se dar bem, mas essa natureza nunca foi empecilho para não se casarem e constituir família... Viva a realidade e deixe de ser um avatar virtual...