quarta-feira

Não quis enxergar o obvio

Tenho 27 anos e conheci um cara do meu trabalho, ficamos e criamos uma relação bem legal, dividíamos nossos problemas, estávamos sempre juntos, desenvolvemos um carinho muito grande um pelo outro (pelo menos era o que ele dizia). Passado um tempo, acabei descobrindo que ele ficou com uma estagiária do nosso trabalho, fiquei brava, acabei tudo! Ele me pediu desculpas, disse que eu precisava perdoá-lo, que não podia jogar fora tudo o que vivemos etc... Após um tempo eu o perdoei e ficamos novamente até que descobri que ele tinha ficado novamente com a estagiária... Coloquei um fim nessa historia, me afastei completamente dele e da galera do escritório. Foram uns três meses afastados, quando um dia ele me chama para conversar e me diz que vai ser pai (de outra mulher) e que ele não está junto com a mulher... Aos poucos fomos se aproximando novamente, ele sempre querendo provar que se arrependeu de toda a sacanagem que fez... Ficamos algumas vezes, mas essa situação me incomodou. Fui conversar, falar que estava na hora da gente parar de ficar porque a nossa relação não evoluía e isso me incomodava. Ele concordou, falou que gostava muito de mim, mas que não queria compromisso com ninguém porque a vida dele está uma loucura, e que podíamos ser amigos. Ok! Eu concordei em termos uma relação normal de amizade, só que dois dias depois descubro que ele tinha ficado com outra. Não gostei e larguei o verbo, falei que ele não foi sincero, que ele não precisa ter dado desculpa... Após dois dias de discussões ele me disse que estava apaixonado pela menina, mas que por minha causa ele criou um bloqueio... Parei de falar com ele, agora ficou só o inevitável que se refere ao trabalho, ele tenta uma aproximação, mas eu evito e só falo o básico... Como devo agir?

No fundo você sabe que ele apenas a usou, você foi mais uma "peguete" dele ou uma figurinha para colar no álbum... Agora você precisa se livrar do palhação e só tem uma maneira, falar o menos possível com ele, não ir aos lugares em que ele frequenta; evitar as investidas e os convites, não cair nas armações, xavecos, convites e galanteios que ele vier a lhe oferecer... Espero que você não perca mais o seu tempo com esse tipinho, e que sirva de lição para você não entrar mais nessas roubadas... Esse mancebo deu-lhe todos os sinais de que não prestava e você se enrabichando por ele... Primeiro não lhe assumiu devidamente, depois a traiu com a estagiária por várias vezes, ficou com a “menina” e sabe se lá com quem mais, chega a você e diz que engravidou uma moça e não vai assumir e nem quer nada com ela, isso mostra todo o “bom caráter” que ele tem e você ainda continua ficando com ele para depois se lamentar e choramingar pelos cantos do porque da sua relação com ele não dar certo... Mas nem com muita reza braba para o Pai de Santo você teria esse rapaz ao seu lado a não ser para sofrer, dos males o melhor não foi você que engravidou dele, agradeça aos seus protetores e reze para essa coitada que vai ter um rebento desse irresponsável...

sexta-feira

A magia do amor transformada em ilusão

Fred!!! Recentemente conheci um rapaz bacana, temos muitas afinidades. Faz dois meses estamos saindo, ele mora sozinho e ficamos juntos praticamente o final de semana inteiro. Ele falou logo no início que só ficaria comigo se fosse pra namorar, caso contrário não.  Eu não dei muita credibilidade porque sei que os homens falam muitas coisas e depois mudam. Pois bem. Ele mudou. As mensagens diminuíram,  a vontade de me ver durante a semana também e para acabar de vez, ele me levou na festa na casa de um tio e subitamente quis ir embora, disse que estava passando muito mal e tinha que ficar em casa, sozinho claro. Não preciso nem dizer ao checar a veracidade da historia confirmei que ele não estava em casa. Há poucos dias falamos sobre o feriado e ele disse que talvez não nos víssemos, pois ele teria que levar os pais na chácara da família, inclusive fui convidada pelo tio, mas ele não fez menção nenhuma de me levar. Até aí sem problemas. Mas não fiquei calada e disse que quando ele apareceu na minha vida estava muito bem sozinha e que não gosto de ficar nessa situação em que estou agora. Se for para ficarmos esporadicamente tudo bem, sem problemas, mas porque exigiu compromisso, estávamos muito bem só na curtição e agora eu me apaixonei... Eu não dei motivo para ele se distanciar, mas percebi que ele vem me evitando... Ele  respondeu “nem que sim, nem que não” e que eu estava certa. Eu fico pensando que o problema está comigo. O que eu faço? 

Você teve o Sado e agora esse que não sabe o que quer, onde você está recolhendo essas figuras??? Não tenho como afirmar se o problema é com você, mas acho que você devia ser um pouco mais seletiva em suas escolhas ou na hora que você se ligar que vai dar problema não insistir e se mandar rapidamente... Com relação a esse homem pode ser que você tenha caído no “mundo fantástico da ilusão masculina”... Alguns homens no começo se mostram infinitamente sedutores, carinhosos, grudentos, amorosos, etc. eles sempre tem a ilusão de que agora essa é a certa e para não deixa-la escapar, amarram-na em um compromisso, porém o tempo vai passando e o desinteresse e a covardia aumentando, eles ficam cercados por tudo o que planejaram ao lado dessa mulher, aí vem a duvida e depois a certeza de que não era nada disso, mas eles já a iludiram e não conseguem mais se livrar do emaranhado de ilusões que eles criaram e tudo começa a virar um fardo, passam a serem grossos e viram seres que desaparecem no ar em uma tentativa falha de que a mulher irá se ligar e terminar sem precisar falar com eles... Por isso eu digo a vocês mulheres não acreditem no que um homem fala no inicio de uma relação, eles vomitam palavras, planos, sonhos e até mesmo carinhos excessivos que realmente não tem como sentir tudo isso em tão pouco tempo, esses tipos já chegam com aneizinhos de compromisso para prendê-las em jaulas como se fossem bichinhos para o seu bel prazer, esses homens são inseguros e imaturos e quando a mulher se vê apaixonada a autoconfiança deles cresce e aí eles mudam aquela chave corporal e passam a serem monstros ao invés de doces e amáveis amantes... Por isso tenham muito cuidado na escolha do seu parceiro, ele pode vir a ser uma ilusão como o Mister M ou ser como o Mestre do Magos e sumir quando você mais precisa dele...

Está na hora do desapego

Oi Fred!!! Pensei em procurar um terapeuta, uma igreja sei lá... Alguém que pudesse dar conselhos e que não fossem meus amigos... Achei você na internet e pensei como não nos conhecemos e você é homem, talvez possa me dá um conselho sem me julgar... O meu relacionamento durou quase sete anos, durante o namoro terminávamos e voltávamos constantemente, o motivo era sempre o mesmo, ele não tinha certeza do que queria, dizia que éramos jovens, que perderíamos muito da nossa vida se nos casássemos cedo e que sempre teríamos aquela sensação de que perdemos algo no meio do caminho... Eu às vezes pensava como ele, mas eu sabia o que queria, eu queria fazer parte da vida dele e termos um futuro juntos. Quando terminávamos durava no máximo dez dias e ele voltava chorando eu perdoava e tudo ficava maravilhoso entre a gente... Sempre fomos parceiros, conversávamos bastante, até que ele começou a reclamar das nossas noites de amor e dizia que o “sexo estava sem graça, sem sal”, eu fiquei mal com o que ele disse, foi quando ele viajou a trabalho e na volta eu disse tudo o que estava engasgada na garganta e terminamos... Passaram-se alguns dias e nada dele me procurar, então eu fui atrás dele e ele me disse que não tinha volta, me entregou um texto no qual explicava tudo e dizia que eu era a mulher da vida dele, mas não para ser agora... Depois de um mês separados ele me procura com saudades, fomos almoçar, rolou e conversamos sobre suas novas experiências como solteiro... Porém no final eu disse que não ia mais ficar nesse “chove não molha”, que eu não o amava mais e que iria me afastar de vez, ele começou a chorar disse que estava confuso, que precisava apenas dê um tempo para sair com os amigos, curtir umas farras e que tudo ia melhorar na nossa relação... Por fim, eu menti dizendo que meu amor não era mais o mesmo para que ele se afastasse e me deixasse em paz, pois até eu estava ficando confusa... Quero saber se você acha que ele me ama? Apesar de estar confusa, quero estar ao lado dele, mas não quero que a nossa relação vire uma amizade colorida... Ele vai me procurar novamente? O que devo fazer? Eu quero voltar, mas não vou pedir, quero que ele peça!!! Se ele souber que estou com outra pessoa ele volta para mim? 


No seu caso não adianta terapia, exorcista e nem “reza braba”...rs. Eu acho que essa relação está desgastada devido a duração dela sem perspectiva, sem futuro, sem sonhos, sem objetivos... Foram sete anos de curtição, em algum momento da diversão o tempo iria cobrar uma atitude “ou vai ou racha ou casa ou separa”... Acho que vocês devem ficar separados para descobrirem outras pessoas, depois disso se houver ainda afinidade amorosa entre vocês quem sabe vocês não voltam para se casarem... A relação de vocês chegou ao impasse de deixar de ser uma brincadeira para virar um relacionamento de responsabilidades, parar de brincar de casinha, para tornar-se uma realidade, com casamento, contas, filhos e muito mais... Se vocês ainda tem dúvidas e porque não existe a certeza e sem ela não dá para dar um passo que pode vir a ser errado para frente... O que vocês podem fazer e recuar e começar de novo, sem expectativas, mas sei que isso você não quer, pois seria como voltar no tempo e nada será igual ao que já passou... Quando você fala em estar com outra pessoa para trazê-lo de volta é a maior roubada, pois se ele voltar para você não será por amor e sim por ciúme, sentimento de perda ou qualquer outra coisa menos amor, fora que você estará usando um terceiro para obter esse sucesso que ao meu ver é uma P... sacanagem!!! Por isso, na minha humilde opinião, senão for para avançar na relação e melhor separar e evitar sofrimentos futuros... Eu sei que você quer voltar, mas lembre-se do que eu sempre digo para as minhas queridas leitoras “não existe apenas um amor para cada pessoa”, por isso deixe as coisas rolarem e seguirem seu rumo, pois “o fim pode ser um novo começo”...

quinta-feira

Reconquistando a gata

Olá Fred!!! Conheci uma amiga da minha irmã e de primeira vista já me encantei com o jeito dela e procurei conhecê-la melhor, acredito que ela também se interessou bastante e após algum tempo de conversa quando ia chamar- lá para sair, a minha vida virou do avesso, perdi o emprego e com ele a minha autoestima. Mediante essas questões resolvi cuidar da minha vida e não me achei capaz de conquistá-la e por tudo isso acabei parando de conversar com ela sem mais nem menos. Hoje estou me recuperando aos poucos e já empregado gostaria de investir novamente nela, mas ela não responde as minhas mensagens, por um lado eu entendo, mas como posso reverter isso? Ou devo desistir dessa mulher que tanto me encantou com seu jeito? Quando a vejo ela me trata tão bem, fico sem entender o porquê de ela me esnobar às vezes...

O seu erro foi ter desaparecido da vida dela sem dar explicação, você poderia ter inventado qualquer desculpa, mas ao invés disso resolveu escolher a pior opção o “chá de sumiço”... Mas a sua sorte é que se ela gosta realmente de você essa situação é fácil de reverter... Continue insistindo, mas sem ser pegajoso, pois nenhuma mulher gosta de homem grudento, não banque o coitadinho e nem se humilhe por ela, mas também não banque o arrogante, você tem que achar o meio termo, faça graça sem bancar o palhaço, toda mulher gosta de homens com humor inteligente e que as façam rir... E por último o melhor de tudo! Ela é amiga da sua irmã! Que maravilha! Sua irmã pode te ajudar muito... Fazendo o seu filme, saber o que ela realmente sente por você, dar recados, ser cupido, marcar encontros, e por aí vai... Vejo grandes chances para você conquistar essa gata... O que pode dar errado é ela não estar afim de você, aí nem reza “braba” pode te ajudar... rs  

terça-feira

Amor puramente conveniente

Não consigo resolver minha situação. Estava em um relacionamento que duravam quatro anos. No trabalho conheci uma pessoa e comecei a me envolver a tal ponto de sair da casa onde eu morava com meu ex. e passei a viver uma nova vida com essa pessoa que conheci. Chegamos a noivar, passamos sete meses dessa forma. Por outro lado, nunca deixei de ter contato com meu ex. e nos últimos meses que se seguiram eu sentia algo como arrependimento, saudade e vontade de voltar à vida que eu tinha com meu ex., pois a vida com o atual estava bem difícil. Então voltei há poucos dias com o ex., mas não consigo esquecer o outro. Sinto uma dor que não sei explicar e não paro de pensar em formas de voltar para a pessoa que conheci há sete meses. Por favor, me ajude a entender isso e a procurar meios de resolver! Obrigada.


Para te ajudar só um exorcista ou um manicômio... rs. Quando um deles fica chato você corre para o outro assim é fácil...rs. Acho que você precisa se encontrar consigo mesma para depois resolver-se por qualquer relacionamento que queria ter em sua vida, no momento acho que nenhum deles te amolece e não existe um amor de verdade, pois se houvesse você não estaria nesse impasse... Para você está cômodo brincar nessa gangorra do amor, o que você pode fazer é dar um tempo dos dois enquanto avalia os prós e contras dessas relações e quem sabe afastada deles conseguirá saber qual deles lhe faz mais falta e assim decidir por um favorito ou por nenhum deles e ir atrás de uma terceira opção...rs.

Quando um não quer dois não fazem...

Olá!!! Estou namorando há cinco anos, quando começamos a namorar éramos  imaturos como qualquer casal que inicia um relacionamento muito cedo... Nesses anos de compromisso passamos por muitas coisas, tivemos discussões, divergências, brigas... Mas de maneira geral, nos damos bem, porém estamos com 25 anos e com muita pressão para casar, estaria mentindo se dissesse que quero casar apenas pela nossa idade e pelos anos de convivência. A cada ano que passa o casamento fica mais fora dos planos dele. Já conversamos diversas vezes, ele diz que não é  a hora, que não temos estabilidade financeira, sempre ha algum obstáculo, porém também não há  planejamento nem  para noivarmos. Sinto-me extremamente frustrada, eu o amo muito, mas tenho receio de esperar  tanto tempo e acabarmos não ficando juntos. O que era para ser um sonho, esta virando um pesadelo. Enfim, estou muito frustrada e perdida.

Apesar de eu achar vocês novos para se casarem, vocês registraram cinco anos de convivência que não podem ser descartados, mas mesmo assim não convém casar em desacordo, os dois tem que querer, os dois tem que estar no mesmo caminho futuro, senão é casar para separar... Acho que você pode continuar conversando sobre o assunto e tentando amadurecer a ideia nele, porém ele pode continuar te enrolando, por isso você tem que estabelecer um limite para a sua paciência... Geralmente a mulher está preparada para dar passos à frente antes do homem, ela assume as responsabilidades e é mais corajosa, só que não dá para ficar esperando o homem crescer ou querer te acompanhar... Meu conselho para você espere, mas não gaste tempo demais nessa espera, quando cansar dê uma última pressionada e não se deixe enrolar... Lembre-se ao contrário do que sempre lhe falaram não existe apenas um amor para cada pessoa, existem jeitos e variações de amores e sensações distintas e se pode ter um, dois, cinco, etc... Não é porque esse amor não deu certo que você não vai encontrar outro... O que é para ser será, se não for ele é porque não era para ser...

Meu namorado é um pudim de pinga

Oi Fred!!! Estou namorando há oito meses, mas estou insegura com esse relacionamento! Penso muito em terminar porque ele gosta muito de beber, e quando bebe não se controla, ele já me humilhou algumas vezes na frente dos nossos amigos. Além disso, eu acho que ele ainda gosta da ex. na qual namorou por seis anos e que ele terminou por suspeitar de uma infidelidade dela sem provas. Por causa do namoro anterior dele só ele pode sair sozinho com os amigos e com isso tenho que ficar em casa... Mas não posso ser injusta, ele faz tudo que peço, e quando não está bêbado ele é meigo, carinhoso e aguenta o meu ciúme e minhas chatices... O que devo fazer? Tenho medo de aprofundar mais a nossa relação e depois notar que perdi meu tempo em um relacionamento sem futuro...


Relacionamento é um risco, não tem como saber o futuro, mas tem como saber a hora de terminar... Você sabe que a escolha é sua e a paciência também, então enquanto existir o amor e a balança pender para o bem você pode continuar nessa relação, mas quando esse equilíbrio ficar comprometido para o lado ruim, vai ser a hora de por um fim a relação... Para que o seu relacionamento lhe passe segurança é preciso sentar, conversar e expor as suas aflições para que ele tome a iniciativa de melhorar nas grosserias, nos maus tratos, na bebedeira e se tornar um homem apto para ser seu namorado, coisa que no momento ele não é, pois ele continua levando a vidinha de solteiro enchendo a cara com os amiguinhos da balada... Ele precisa tomar um rumo na vida e se decidir, porque nenhuma mulher é obrigada a dormir abraçada com um barril de pinga e muito menos ser achincalhada e humilhada na frente dos amigos porque tem um namorado que não tem responsabilidade e nem compostura para beber...

Até aqui está tudo bem... (1ªfase)

Conheci há dois meses um homem que realmente me atraiu. Estamos ficando e nos damos bem, realmente nunca brigamos, mas já tivemos que ajustar alguns ponteiros. Somos maduros e abertos um com o outro. Eu o admiro muito pelas suas qualidades. É uma pessoa responsável, experiente (ele tem 42 anos e eu 30), bom profissional e um bom pai. Aprendo muito com ele. Ele tem uma filha de quatro anos com quem cultivo um relacionamento feliz. Ocorre que ele planeja sair do país em breve, quer educá-la em um lugar melhor... Percebo que o nível dele está acima da média com relação aos homens com os quais já me relacionei, tenho acesso a experiências muito diferentes e positivas ao lado dele. Contudo, nosso relacionamento é recente, ele se divorciou há pouco tempo e muitas coisas da vida dele ainda estão sendo colocadas em ordem... Ele é muito franco com relação a isso. Por conta das circunstâncias, ele não tem como me prometer um relacionamento duradouro, isso tudo é muito delicado, porque ele pode ir embora o ano que vem. O plano na verdade é ir o quanto antese ele ainda está no processo de juntar a papelada. Então, não é certeza que ele vá, apesar de eu saber que tem grandes chances. Gostaria da sua opinião: devo cair fora o quanto antes (para não me ferir lá na frente e não perder tempo na minha vida), ou manter o controle emocional e aguardar a situação amadurecer e se desenrolar naturalmente? Não queria abrir mão tão cedo, porque sinto que esta relação me ensina muitas coisas. Em sua opinião existe a possibilidade de eu conquistá-lo para construirmos algo junto futuramente?

Como eu digo nem tudo é para sempre, então não vejo motivo para você não continuar com ele... Se ele te faz bem, então curta os bons momentos ao lado dele e tenha em mente que a qualquer instante ele pode ir embora e você não pode surtar com a partida dele e nem ter um ataque psicótico, é vida que segue... rs. O que você precisa fazer nessa relação é se ligar no tempo para não bancar a trouxa, se essa viagem enrolar ou demorar muito para se realizar quer dizer que você está sendo cozinhada em banho-maria e aí será a hora das mudanças (a não ser que queira continuar com o status de “peguete amante”)... Para resolver essa querela você terá que ir para cima e discorrer os seus anseios e sentimentos para que ele firme um compromisso com você ou separe os trapos para que você possa seguir com a sua vida em busca de outro homem que queira um compromisso sério... Lembre-se: Em uma relação, à felicidade tem que ser mútua, não adianta estar bom para um enquanto o outro empurra com a barriga os problemas esperando que as coisas melhorem por si só... 

segunda-feira

A espanta homens

Olá Fred!!! Tenho 30 anos e tive apenas um relacionamento longo que durou seis anos. Desde então, tenho me envolvido com homens que parecem não querer compromisso. Conheci alguns homens em sites de relacionamentos, pois eu saio muito pouco e pela internet eu conseguia conhecer algumas pessoas. Acontece que os homens que conheci tiveram um comportamento muito parecido: no início parecia muito bom, eram românticos durante a conquista e diziam querer namorar comigo, elogiavam-me constantemente e nos falávamos todos os dias. Mas com o passar do tempo e após o primeiro encontro, eles mudavam comigo e mostravam não querer nada sério. Eu me sentia culpada achando que tinha algo de errado comigo, mas depois eu percebi que eu continuava agindo de forma amorosa com eles como no início e eles é que tinham mudado. O primeiro deles bebia demais e ficamos juntos nos conhecendo por cerca de quatro meses. Ele parecia gostar de mim, a gente saia para jantar, fomos no teatro uma vez e até viajamos para praia juntos. Ele me enviava bom dia e mensagem todos os dias. Mas com o tempo eu fui ficando insegura e não soube lidar com isso e comecei a implicar com as bebidas e com o futebol dele, achando que ele não estava me dando atenção. O segundo homem que conheci eu fiquei por sete meses que parecia gostar de mim, mas ele tinha fobia a compromisso (dizia isso e também demonstrava em suas atitudes). Ainda assim eu respeitei o tempo dele e fui levando. Nossos encontros na maioria das vezes era para transar, ele realmente tinha bloqueios e não me chamava para sair. Eu que tomava a iniciativa. Depois de algumas brigas e mensagens que eu mandava querendo entender o que ele sentia ele começou a namorar outra mulher, sem me dizer nada. Recentemente, conheci outro homem que mora em outra cidade e começamos a nos falar todos os dias, estava muito gostoso, estávamos bem próximos, após muitas declarações, marcamos o primeiro encontro. Eu fiz algo mais ousado e fui até a casa dele. Foi algo diferente e bom, pois sai da minha zona de conforto. Valeu a pena. Mas quando eu percebi que ele estava sendo atencioso comigo, querendo que eu ficasse mais de um dia na casa dele eu senti uma vontade de voltar pra casa. E voltei (como se eu estivesse fugindo da intimidade). Depois disso ele mostrou interesse em marcar um segundo encontro, viria para minha cidade para encontrar com um amigo e disse que queria que eu fosse junto. Ele veio para cá, mas não me avisou, acabou fazendo coisas só com o amigo mesmo. Fique chateada e disse isso a ele, mas não com um tom de cobrança, afinal estamos nos conhecendo. Mas faz uma semana que não conversamos mais. Ele também mudou comigo, pois no início nos falávamos sempre e ele estava muito, muito empolgado. Não sei se preciso de mais paciência, esperar, ou se é um homem que não me merece. Quero namorar e as coisas parecem não dar certo.

A vida são tentativas, erros e acertos, acho que você está no caminho certo, saindo, curtindo, conhecendo pessoas e logo, logo você vai achar o seu par ideal... O que você precisa agora é ter discernimento nas suas escolhas para não perder tempo com a rapaziada que não tem futuro (Como o bebum que você relatou no seu e-mail ou o cara que já entrou falando que não queria compromisso)... Outra coisa!!! Não queira rotular e cobrar a relação, deixe fluir, curta o momento quando o relacionamento estiver perdurando você poderá dar nome aos bois, antes disso tome cuidado, pois a maioria dos homens tem aversão à coleira e a compromisso, por isso tem usar o jeitinho feminino para fazer o homem assumir um compromisso... Não dá para você continuar nesse caminho sendo a louca do compromisso, você não pode ser desesperada, afoita e alucinada, tem que ter paciência, pois o homem sente o cheiro do sufocamento à distância e isso o espanta... Vá devagar um passo de cada vez, lembre-se de quando era mocinha e recorde aquela época com seus pais atrás de você... Saia com ele, converse, caminhe de mãos dadas, roube uns beijinhos, não o deixe usar os tentáculos em você, controle seus impulsos, não faça cobranças a toda hora, preserve o seu “tesourinho” e leve a relação em banho-maria, pois com toda essa demora e a expectativa criada por você a tendência e que o momento esperado seja delicioso... Agora, se o rufião acelerar e se mandar pelo menos você se livrou de um babaca que queria apenas te papar... 

Quando a virgindade se torna um problema

Apesar de eu pregar um discurso liberal que a mulher deva transar com quem quiser, com ficante/namorado e fazer tudo que ela tenha direito, nesse caso não consigo seguir esse discurso. Sempre fui uma pessoa muito romântica e insegura, para mim me envolver com homens onde moro é meio difícil, já fiquei algumas vezes e todas as vezes que eu queria algo sério, eles corriam como nunca, e principalmente por um motivo: Sou virgem (e muitos podem me perguntar: mas como isso aconteceu? Nos dias de hoje todo mundo transa! Porque então esperou tanto tempo?) para ficar bem claro, nem religiosa eu sou!!! Quando me perguntam sobre a minha virgindade eu respondo: Porque sempre quis ter um amor comigo, um cara que assumisse relacionamento sério e me respeitasse. Já namorei uma vez, mas não deu certo por questões de afinidade e não chegamos aos finalmente. Mas a questão é que o meu sonho sempre foi sair do Brasil e esse ano, irei para um intercambio fora do país, lá vou conhecer muita gente e soube que lá não é como aqui, que quando um europeu te beija, logo após vem o sexo. O que é muito diferente daqui, que a gente beija, beija e não precisa rolar nada... O que devo fazer? Depois que eu beijar, digo a ele que sou virgem, ou antes, de beijar dou um jeito de dizer ou não digo nada? Quero transar a muito tempo, mas não me sinto totalmente segura, meu maior medo é nunca encontrar alguém que me respeite o suficiente e assuma um namoro comigo, e acabar tendo que se eu quiser perder a virgindade, transar casualmente (coisa que nada me agrada) ou terminar morrendo virgem... Soube de casos de pessoas que tem 40 ou mais e são virgens...


Vejo que está em um impasse financeiro... rs. Dou ou não dou o meu tesourinho... rs. Acredito que tudo tem a sua hora e lugar para acontecer, se você não está preparada e porque ainda não conheceu alguém que lhe desse segurança para acabar com o seu dilema... Se fossem outros tempos, eu diria: que legal você ainda é virgem!!! Mas hoje essa situação é meio que assustadora... Quando eu era novo, gostávamos e não gostávamos de pegar as virgens, um dos motivos ruins é que a moça grudaria no pé como goma de chiclete e o lado bom é que sempre saberíamos que fomos o primeiro... Mas com o passar dos anos o conceito da virgindade foi se perdendo e hoje é raro encontrar uma virgem... Mas a preocupação masculina continua a mesma o homem tem dificuldade de evoluir...rs. Agora com relação a sua viagem não é bem assim, beijou tem que transar... Está certo que eles não ficam se beijando nas baladas, mas se esfregam como loucos...rs. O beijo é algo íntimo em outros países, então não se distribui com tanta frequência, geralmente é preciso ter algo mais envolvido, mas nem por isso é um sinal verde de que vai rolar transa... Então não precisa ficar revelando para todo mundo a sua condição sexual, deixe as coisas fluírem normalmente, mas não se apegue demais ao conceito da virgindade, pois não é tão importante, o que importa é o seu caráter e a vida para o bem que você leva... No passado tinham várias virgens de faixada, faziam de tudo, coisas que eram impróprias até para os adultos...rs. Mas mantinham o “tesourinho” imaculado e com isso continuavam se gabando de suas virgindades... Por isso eu digo de nada interessa a sua condição, o importante em quem você é... Se você fizer uma enquete com a mulherada à maioria irá lhe dizer que a primeira vez não foi tão boa assim e que as expectativas eram maiores do que o ato em si realizado... Lembre-se que nós fazemos nossas escolhas e não acredite naquela lengalenga embutida de que a primeira vez tem que ser especial, com um homem perfeito... A sua primeira vez tem que ser com alguém que lhe dê segurança e que você esteja a fim de fazer também, e não encane se o homem irá ou não ficar com você no futuro, porque senão for esse será outro, o importante é você estar bem consigo mesma e saber que a hora chegou... 

quinta-feira

Importante é a felicidade

Olá, Fred! Tenho 53 anos e casada há 35 anos. Casei-me jovem, virgem e com lindos sonhos! Imaginei mesmo uma vida maravilhosa. E tive apenas três meses de felicidade. Meu marido sempre me traia e me deixava sozinha, pois minha família morava no interior. A primeira vez que ele me traiu, eu tentei voltar para casa dos meus pais, mais um dos nossos padrinhos de casamento, me impediu dizendo que não poderia dar este desgosto para a família. Enfim depois de muita conversa meu marido me convenceu a ficar e por alguns meses ele se comportou... Depois disso vivi uma vida inteira de traições e fingindo ser feliz já que ele sempre se arrependia e pedia perdão. Depois de dois anos de casados tivemos nosso primeiro filho. Aí o sofrimento foi maior, meu filho tinha problemas de saúde e sempre que ele passava mal, eu estava sozinha, porque meu marido estava com outras... Vivi assim por vários anos, até ele se apaixonar pela vizinha da frente... Eu sobrevivi e aprendi a me amar e a enxergar que tudo o que eu passei com o meu marido eu não merecia. Dei a volta por cima, fiz isto por mim e meus filhos. Ficamos um ano separado, nesse tempo conheci várias pessoas, sai e me diverti, mas nunca levei ninguém a sério. Enquanto eu me recuperava e conquistava a minha felicidade, ele “quebrou a cara”, pois a garota o deixou. Ele quase enlouqueceu, me procurou, dei meu colo para ele chorar e com isso ficamos juntos... Mas eu nunca consegui esquecer e perdoá-lo. Logo depois fiz uma viagem com uma amiga e conheci uma pessoa, e me apaixonei. Ele era divorciado, mas não queria mais viver com ninguém e eu casada achei ótimo, pois com isso não precisava assumir um compromisso sério e nem destruiria a minha família novamente. Mantínhamos um namoro à distância, víamos pouco, pois morávamos em cidades diferentes, até que cansei desses encontros, não me sentia segura, então disse a ele que era melhor terminar e sermos apenas amigos, ele concordou... Foi então que o “bicho pegou”, passei a sentir a falta dele, ficava mandando mensagens de amor a todo tempo e ele ignorava. Sentia ciúmes dos comentários dele para outras garotas nas redes sociais realmente eu pirei... Mandei uma mensagem enorme cobrando o seu amor por mim, eu me humilhei e ele não respondeu, simplesmente me apagou do site. Aí essa semana eu criei coragem e apaguei os contatos dele. Foi quando ele me respondeu “Se você não fosse tão possessiva e pegajosa, poderíamos continuar bons amantes”. Por favor, me ajude a tirar este homem da minha  cabeça. Quero é preciso esquecê-lo para sempre.


Notei que seu marido não a interessa mais, que a sua relação virou apenas aparência e também que a sua autoestima é baixa, pois aceitou seu marido de volta facilmente, vejo também que a solidão e o medo de ficar sozinha a assusta... Acho que você precisa resolver essas pendências para poder ser livre para amar novamente, estando bem consigo mesma você terá forças para enfrentar qualquer adversidade que a vida te jogar no colo... Com relação ao amante acho que é só um capricho seu pela rejeição, porque quando você o tinha não importava muito, mas quando você deu um basta e ele aceitou prontamente, aquilo lhe corroeu e fez com que se sentisse sem importância e cismou em tê-lo novamente... Vou tentar ajudá-la a esquecer desse rufião; primeiro você tem que parar de fuçar a vida dele, não o procurar e nem saber o que ele tem feito ou deixa de fazer... Depois disso pense apenas nos defeitos dele, martele esses defeitos em sua cabeça como se você o mantra, mantenha-se ocupada, abra os olhos para o seu redor pode ser que a vida esteja divertida e você perdendo tempo com um mancebo que não te quer mais... Lembre-se que o tempo é a cura, então ajude o tempo a passar, cerque-se de pessoas do bem, saia com os amigos, abrace mais, faça exercícios, procure um hobby, sorria, estude, mude o visual, fique linda, compre roupas novas, faça uma viagem, dedique-se a família, foque no trabalho... Se você fizer algumas dessas sugestões propostas, logo o amor baterá a sua porta novamente e você vai estar mais preparada para ser feliz...

terça-feira

Relação relâmpago

Eu estava conhecendo um cara e fazia dois meses que conversávamos todo dia. Saímos e ficamos algumas vezes. Ele parecia um príncipe. Nesses dois meses de conversa, ele em todo o tempo dava indícios que queria namorar comigo, pois falava coisas como: “espero ser a tampa da sua panela”; estou me apaixonando por você’; ''qual foi o erro que seu ex. cometeu contigo para o relacionamento não dar certo? “Não quero cometer os mesmos erros”. Chegou até a me mandar fotos das amigas para que eu já fosse conhecendo. Como ele sempre me dizia essas coisas e eu estava começando a ter um sentimento por ele, no nosso último encontro resolvi perguntar se ele tinha alguma intenção de namorar comigo no futuro ou queria continuar como estávamos. Na hora, ele respondeu que queria namorar. No dia seguinte foi extremamente frio comigo, me evitou o dia todo e só à noite me mandou uma mensagem dizendo que só queria ter alguém para compartilhar bons momentos e curtir. Que não queria namorar e nem queria as “obrigações” do namoro, que para namorar precisava conhecer bem a pessoa, porque estava traumatizado com o ultimo relacionamento que foi sufocante. E eu fiquei me perguntando, por que o dito cujo não havia sido honesto comigo desde o início e porque ele me falou todas aquelas coisas bonitinhas. Sei que errei em ter feito a pergunta, mas não estava cobrando um namoro agora, só queria saber se a nossa "relação" tinha futuro, já que não gosto de ficar por ficar e estava me apaixonando. Eu mandei um texto para ele explicando que não estava forçando ele a me pedir em namoro, e que só perguntei sobre namoro pelas coisas que ele me vinha me dizendo. Confesso que me exaltei e disse que ele havia me magoado. Ele disse que ia sair da minha vida, que a vida seguia. E pareceu nem se importar muito com a minha tristeza. Após isso, eu sumi. Ele aparece de vez em quando para dar um oi, mas não rende assunto mesmo eu tentando puxar conversa. Outro dia ele me desejou bom dia e eu perguntei se ele estava bem e ele só me respondeu no dia seguinte, mas não me perguntou como eu estava. Sinceramente, não consigo entender o que se passa na mente dele para me dar oi e não render assunto. Queria entender o motivo para ele aparecer de vez em quando como quem não quer nada e depois dar um perdido. O que eu faço? Vale a pena ir atrás? Eu fico me sentindo culpada por ter feito a pergunta e por isso termos nos afastado. Tem duas semanas que só choro. Às vezes penso que se ele gostasse mesmo de mim não teria ido embora por conta de uma pergunta, já que ele deu indícios que queria algo sério. Eu estou errada? Ou ele só queria me fazer de lanchinho? Estou muito confusa e me sentindo culpada. Ajuda-me!

Você não está errada!!! Depois de dois meses de lengalenga você só quis saber qual o rumo que essa “pegação” iria tomar... O bom disso tudo é que acabou rápido e logo você descobriu quais eram as reais intenções do “frangote”... Se você estivesse na mesma “vibe” dele tudo bem ficar só na curtição, mas o que você quer é um relacionamento sério algo para construir a dois e ele está interessado apenas em dar uns beijinhos de vez enquanto e saquear o seu tesourinho...rs. Se ele quisesse namorá-la, ele já o teria feito, não ia deixar você dando sopa por aí sem um compromisso firmado, com relação as coisas que ele vinha lhe dizendo; os homens no início são assim; eles vomitam sentimentos e mais da metade deles sem sentir, falam o que vem a cabeça para agradar e conquistar; os homens demoram mais para expressar sentimentos verdadeiros, então quando estiver em um novo relacionamento sinta-se lisonjeada pelos elogios, mas não os leve tão a sério... Respondendo as suas perguntas: Não faça nada, não corra atrás dele, deixe-o seguir seu caminho e não se atenha em saber da vida dele, pare de choramingar como um inseto pelos cantos da casa e abra os seus horizontes para uma nova paquera, o tempo vai fazer você esquecê-lo e lhe trará alguém que realmente a mereça... 

segunda-feira

Salvando o Titanic


Estou com meu esposo há 23 anos. Começamos a namorar com 17 anos e casamos com 22. Casei grávida, mas já estávamos planejando o casamento há um ano e meio. Fomos os primeiros namorados um do outro. Sinto que ele me ama e eu também o amo, mas no ano passado tivemos uma briga que gerou muitas mágoas, ele chegou a terminar o casamento por mensagem. Na época nós havíamos emprestado um dinheiro a um parente e ele foi contra, mas eu insisti. A pessoa não honrou a dívida e eu não posso ter meu nome sujo porque sou gestora pública. A pessoa não tinha como pagar. Eu me propus a pagar e ela acertaria comigo em parcelas. Não fiz por ela, fiz pelo meu nome e pela minha condição profissional. Sei que não deveria ter emprestado nada desde o início, mas meu marido perdeu a cabeça, se descontrolou e praticamente estava inviabilizando qualquer solução que eu propunha. Chegou a dizer para eu me virar, mas se eu pagasse a dívida ele me largaria. Chegou até a gritar no telefone que tudo tinha acabado. Fiquei muito decepcionada e achei que tudo tinha acabado entre nós e para cessar as brigas eu disse que só falava com ele em juízo. Daí ele se deu conta do que estava acontecendo e conversamos. Eu o aceitei de volta, mas fiquei decepcionada, porque ele nunca deu sorte nos empregos que teve e eu banquei a nossa família por muito tempo sem me queixar. Temos dois filhos lindos e me senti injustiçada por não ter o reconhecimento por tudo de correto que fiz ao longo desses 18 anos de casamento... Querendo ou não ele atribuiu um valor para o nosso casamento, que é o valor da dívida. Ele poderia dizer que não me ajudaria e que eu deveria resolver, já que ele avisou e eu insisti no empréstimo. O problema é que ele não deixava resolver. Fizemos as pazes, mas eu esperava que ele me reconquistasse, sinto que para ele foi somente mais uma briga, ele age como se nada tivesse acontecido. Já faz um ano que isso ocorreu e eu acabei me distanciando dele, a nossa relação esfriou e agora ele está ficando barrigudo, está com um mau hálito terrível e não se cuida. Não tenho mais atração por ele e o sexo não tem emoção é sempre a mesma coisa... Enfim estou infeliz e não sei como conversar com ele. Já falei do racha que aquela briga provocou e que não senti mudança por parte dele, não sinto iniciativa, cheguei a falar para ele se cuidar, parece que ele não está nem aí... Ultimamente tenho recebido investidas de um colega também casado e isso está mexendo comigo, me deixando curiosa, não quero destruir o casamento dele e nesse momento não posso acabar com o meu porque de novo ele está desempregado e eu jamais o jogaria na rua. Ele praticamente não tem família. O que eu faço?

 
Eu vejo duas opções para o seu caso; a primeira é sentar e ter uma conversa séria e explícita sobre o assunto que a aflige e a outra é dar um tempo na relação para que ele sinta o que está perdendo sem você ao lado dele para quem sabe ele lhe dê o devido valor que você merece... Na segunda opção você tem que ser firme ele não pode voltar pelas palavras de arrependimento, tem que ser pelas atitudes sendo a solução começar de novo... Ele vai ter que reconquistá-la, convidar para sair, pegar um cinema, ir a restaurantes, barzinhos, terá que ser como um namoro inicial, ele terá que se mostrar digno de arrependimento e de confiança, ter a percepção do que vai perder estando longe de você e se não der certo e porque chegou o fim... O que não dá para acontecer e a sua insatisfação, todos nós temos direito a felicidade... Com relação ao seu suposto caso com o coleguinha de trabalho acho que não é a hora; primeiro motivo: ele também é casado, segundo: você já tem um “pepino domiciliar” para resolver então porque arrumar outro fora da casinha; terceiro: não dá para brincar de amante, pois eu acho que você vai se apaixonar e vai “babar” a brincadeira... Lembre-se, você tem uma família estabelecida, que já passou por vários problemas, alguns até piores do que esse que você vive no momento, saiba que eu sou sempre a favor da família, então pense um pouco e responda algumas questões: Você fez tudo pela família ou ainda dá para fazer algo para mantê-la unida? Você ainda o ama? O amor que sente por ele ainda é forte o bastante para que a relação ultrapasse esse “perrengue”? Vale a pena desfazer essa relação por uma aventura com o coleguinha? Como seus filhos irão ficar? Eu consigo perdoar e seguir em frente? Será que eu conversei o bastante e realmente esclareci as minhas insatisfações? Eu estou disposta a dar uma chance para a relação se ele verdadeiramente mudar ou estou apenas arrumando uma desculpa para me livrar do dito cujo? Respondendo a essas perguntas você terá uma base de qual atitude deverá tomar para alcançar a sua felicidade e digo mais; só entre em outra relação quando estiver zerada com a anterior, não dá para deixar amarras e âncoras do passado segurando o seu presente futuro...

terça-feira

O prazer pode apoiar-se sobre a ilusão, mas a felicidade existe através da realidade


Olá, Fred!!! Sei que preciso melhorar em alguns aspectos, mas o principal (que inclusive é o ponto forte da minha dúvida) é a ingenuidade. Conheci um rapaz pelo aplicativo “Adote Um Cara”. Falávamos via mensagem por cerca de dois meses até que nos conhecemos pessoalmente (estamos em estados diferentes). Logo que nos conhecemos, bateu aquela química e transamos; ficamos juntos um final de semana todo e nesse ínterim nos encontramos três vezes. Senti que aquilo era leve e me entreguei. Imaginei que seria algo de um final de semana só e deu. Porém eu me apaixonei e não sei mais o que fazer. Ele falou a frase "pensando em algo sério" comigo, mas sei que suas atitudes não combinam com isso e que provavelmente ele está me mantendo em sua geladeira como sanduíche. Ele falou que excluiria o perfil nesse aplicativo, mas não o fez. Aliás, pedi para uma amiga "dar em cima" dele no aplicativo e ele adorou, pediu até para conhecê-la. Ou seja, sou a idiota da história.


É fácil para você usar a palavra ingenuidade como desculpa ao se deixar enganar... A pessoa ingênua é aquela que possui simplicidade extrema, sem maldade, infantil, etc. que convenhamos não é o seu caso... Você tentou arrumar um (P.A) e se deu mal!!! Acabou se apaixonando e agora se vê nas mãos desse mancebo... Eu pergunto quem é que precisa procurar relacionamento em um aplicativo com o nome “adote um cara”? Isso parece comércio gratuito de sexo, além disso, você adotou um cara que mora e trabalha em outro estado, com isso você aumentou as possibilidades do fracasso... O que você precisa fazer é deixar de lado a tecnologia e passar a viver a vida real, sair com os amigos e curtir uma boa paquera de contato verdadeiro e sincero... Não queira culpar o cara, eu no lugar dele faria o mesmo... Uma mulher que mora longe e procura um aplicativo com o nome “adote um cara” e só para dar uma curtida e descartar... Em meus testes de relacionamento fiz algumas experiências em sites de “procura-se o amor”... rs. Basta ter um texto simpático, uma boa apresentação e com alguns dizeres amorosos e fofos que logo você pesca um peixão para o seu espeto... Ainda digo mais, se esse homem for de boa aparência e mandar uma carta de apresentação letrada e com tudo o que uma mulher gostaria de ouvir para 10 fulaninhas, aposto que ele recebe o retorno de 80%... Dessas oito mulheres que ele corte a metade por não gostar do perfil ou por outro motivo qualquer, vão sobrar quatro para o seu bel prazer... Vamos além, faz de conta que ele queira sair apenas para dar uma transadinha de primeira, se ele sair com essas quatro mulheres que lhe restaram pelo menos uma transariam com ele na primeira vez e um número bem razoável para um rapaz que não quer nada com nada... Acho muito arriscado conhecer alguém pelos sites de relacionamento, pois o meio virtual é uma terra de ninguém onde geralmente as pessoas são dissimuladas, mentirosas, falsas e controversas, usam da timidez como desculpa para se dar bem nesses tipos de sites. Vamos concordar!!! é muito mais fácil se mostrar através da escrita do que ao vivo e a cores. Antigamente quando não havia internet era difícil para o tímido se dar bem, mas essa natureza nunca foi empecilho para não se casarem e constituir família... Viva a realidade e deixe de ser um avatar virtual...

Nunca estrague seu presente por um passado que não tem futuro


Conheci-o aos poucos e fomos criando um laço de amizade, depois de três meses que estávamos juntos começamos a namorar e ficamos por nove anos, sem nenhum problema, nunca brigamos, conversávamos muito e nos dávamos muito bem. Todo ano comemorávamos o nosso aniversário de namoro com uma celebração diferente, presentes e surpresas... Ficávamos juntos todos os finais de semana e às vezes durante a semana... Saíamos com frequência, íamos ao cinema, restaurantes, parques, shoppings, casa de amigos e familiares... No nono ano começamos a planejar o casamento e marcamos o noivado, quando faltava um mês ele desistiu e terminou comigo dizendo que eu era culpada pelo fim, que eu tinha que mudar meu comportamento e deixar de ser ciumenta... O nosso relacionamento era tão bom, sempre que algo nos aborrecia, conversávamos para resolver, ele me disse que eu tinha que ter percebido os meus erros, a insatisfação dele e mudado as minhas atitudes, mas como eu ia mudar sem saber que eu precisava dessas mudanças. Ao meu modo de ver, eu poderia até mudar, mas ele não me deu a chance, não quis esperar as mudanças, despejou a sua insatisfação e terminou comigo. Ele acha que eu não gosto da família e nem dos amigos dele, o que não é verdade, acho que ele não olhou para a nossa história quando resolveu por um fim a nossa relação. Estou muito triste, quero tê-lo de volta porque o amo, nove anos de relação não se pode jogar fora assim, procurei até ajuda psicológica.  Um relacionamento não pode acabar de uma maneira tão tola, ele deixou acumular insatisfações e explodiu jogando tudo em cima de mim sem me dar a chance de mudar, simplesmente foi embora e para completar ele já está com outra pessoa...


Não vou ajuda-la a reconquistá-lo, eu sei que essa não era a resposta que desejava ouvir, mas acho que você não merece estar com alguém que não lhe ama, eu sei que você está inconformada com o fim da relação e que no seu subconsciente você não acredita que desperdiçou e se doou por sete anos para não chegar a lugar nenhum e ainda por cima para vê-lo com outra fulaninha... Quando você tirar o tapa-olho de cavalo e olhar para os lados verá que esse mancebo não era perfeito e não me surpreenderia se você viesse a descobrir que ao longo desses anos de relação ele lhe traiu por várias vezes... Eu não entendo como você pode se dizer apaixonada se você não sabe deixar ir, a paixão não faz das pessoas prisioneiras ou reféns do amor. Se você o amasse de verdade ia querer o bem dele como na frase: “Deixe o livre para voar, se voltar é porque sempre foi seu”... Que no caso não aconteceu, pois ele foi para outro ninho e seguiu com a vida, aposto que ele nem sabe mais da sua existência e você insistindo com esse cara covarde que sabia que não te amava o suficiente e mesmo assim deu prosseguimento ao compromisso do noivado achando que mais para frente poderia contornar a situação, mas quando essa obrigação bateu na porta e ele viu que ia se amarrar; ele amarelou e agiu como um homem imaturo e sem caráter que não tem coragem de assumir seus próprios erros e decisões, jogando toda a responsabilidade em você como desculpa para o termino da relação, deixando-a sem ação e com sentimento de culpa... Eu vejo dois caminhos para você: O caminho da dor e o da busca do novo amor. No caminho da dor você será guiada pelo sofrimento, mágoas, humilhações, lamentos, desentendimentos, grosserias, indiferença, desprezo, aborrecimento, ansiedade e por aí vai... Onde você vai tentar por várias vezes reconquistá-lo e pode até sair premiada com alguns beijinhos ou com sexo furtivo em algum canto da cidade ou ainda algo mais profundo, como ser a amante ou a outra dele...rs. não acredito que você mereça se sujeitar ao papel de concubina, capachinho, estepe ou comidinha congelada... Não dá para você viver de migalhas de amor... Você precisa ser amada é o que ele tem a oferecer para você não é amor. Pare de choramingar, pois ele seguiu em frente, agora é a sua vez, você tem que aplicar o desapego e tomar as rédeas da sua vida, para isso é preciso esquecer o passado e esconjurar esse rufião dos seus pensamentos...  Já o segundo caminho pode ser mais difícil, pois ele exige decisões, entusiasmo, força de vontade para querer mudar, ele é desconhecido e cheio de surpresas, você não sabe o que ele pode apresentar para você, mas esse caminho tem esperança, tem o amor verdadeiro, tem luta, tem coragem de sair da mesmice, de querer algo novo, de melhorar, etc. A princípio esse caminho será árduo, você irá “quebrar a cara” algumas vezes, mas com confiança e determinação ele irá levá-la para uma reestruturação, uma repaginada, uma redefinição de conceitos, amores, valores e amigos... Ao longo dessa caminhada você verá que essa foi a melhor escolha; é nela que você irá achar alguém que te ame de verdade e que a respeite, além disso, essa escolha fará de você uma pessoa calejada e não mimada, que sabe assimilar a perda, ouvir os problemas e corrigir as falhas... Quando mais rápido você aceitar o fim, mais rápido você vai poder seguir com a sua vida... Não dá para se perder no passado, vislumbre o futuro e aposto que será feliz...

Quero filhos e ele quer sadomasoquismo


Tenho 38 anos e namorei por muitos anos, mas descobri uma traição e rompi o namoro. Sofri muito, fique quase anoréxica e logo depois conheci um rapaz que tinha passado por um divorcio recentemente. Ficamos uns dez meses juntos, ele tomou a iniciativa de romper, disse que estava confuso... Isso faz uns sete anos e de lá pra cá ficamos amigos... No ano passado nos reencontramos e começamos uma amizade sem compromisso, no meio do ano assumimos o namoro, pois eu não queria ficar de namorico e que se fosse para ser de outra forma era melhor cada um seguir o seu caminho. Recentemente desconfiei que ele estivesse saindo com outra mulher, porque ele tem deixado recadinhos na rede social dele... Eu enlouqueci e agora não confio mais nele. Falei para ele que queria ter filhos, mesmo que fosse uma produção independente, ele concordou, fizemos todos os exames e foi ai que descobri no carro dele um monte de camisinhas e alguns comprimidos que segundo ele, tomou comigo e não fez efeito, fiquei ainda mais desconfiada, ele negou e disse que não tem nada com ela, e se distanciou dela, mas para mim isso não quer dizer nada, encontros escondidos acontecem todos os dias. Agora não sei se estou encanada demais ou pirando de vez. Ele diz que me ama e quer ficar comigo, porém não me sinto segurança. Na verdade as atitudes dele me deixam mais confusas, o nosso sexo é bom, enfim, não sei.  Eu já tive vontade de afrontar a mulher, já o segui, estou fazendo coisas absurdas. Já fui bem clara com ele e disse que se fosse só um deslize, não colocaria nosso relacionamento em risco, perdoaria, mas de fato não sei, estou muito confusa. Considero-me bonita, tenho minha profissão e até então me achava muito bem resolvida, não tenho problemas de sair sozinha. Isso nunca foi um problema e deixamos bem claro que sempre fomos amigos e que antes de tudo temos que ter respeito um pelo outro. Depois da minha desconfiança, conversamos bastante sobre as nossas fantasias, etc. ele cismou com “bondage” e do nada ele trouxe isso para o nosso relacionamento. Eu até aceito inovar, mas de repente ele apareceu com mil ideias e apetrechos, que me deixaram mais confusas ainda. Ele me disse que está passando por uma fase selvagem e não sabe se eu vou suportar, me deu a entender, se você não suportar o azar é seu, porque tem quem aguente... O que eu faço?

 
Para um relacionamento dar certo, um dos ingredientes é a confiança, que a meu ver ela não existe na sua relação. Algumas perguntas deixam dúvidas como: porque no carro tem uma quantidade expressiva de camisinhas e de “smurfs” (remedinho azul para potencializar a ereção masculina). Porque somente agora ele exigiu e quis inventar algumas mudanças no comportamento sexual do casal? Será que ele sempre fantasiou ou aprendeu com alguém de fora da relação? Acho que na sua relação existem muitas contradições... Se essas mudanças forem para melhorar a relação e não forem apenas extravagâncias de uma das partes não vejo nada de errado, são válidas as inovações e experiências sexuais para apimentar e tirar a relação da mesmice, mas lembre-se tem que haver um consenso entre os dois, não pode “forçar a barra”, se um dos participantes não estiver à vontade com a brincadeira tem que ter a liberdade de dizer “não” sem represálias ou punições, nem todos gostam da prática do sadomasoquismo e muito menos de serem amarradas e imobilizadas, por isso deve-se respeitar o desejo do indivíduo... O que é importante para o relacionamento é a felicidade do casal. Por isso não abra mão da sua felicidade para agradar quem quer que seja por medo de perder a pessoa amada, a submissão é um dos maiores problemas entre casais, pois é a partir dela que surgem os conflitos familiares e as agressões, que inicialmente são verbais e depois se tornam físicas para se agravarem em espancamentos e ocasionalmente em óbito. Por isso não se submeta o tempo todo aos caprichos do outro, faça coisas que lhe agradem também e aprenda a dizer: não vou fazer isso; não me agrada; não quero; Não empresto; etc. Vamos falar da outra questão em pauta; eu sei que você almeja ter filhos, mas será que esse homem é o dito cujo certo para a função de pai dos seus filhos... Eu sei que a sua idade está jogando contra a sua maternidade, mas ainda dá tempo para você escolher outro progenitor para essas crianças, não adianta ter alguém só por ter e ainda por cima quando esse alguém não é confiável... Existem outras soluções para o seu caso; como o congelamento dos óvulos, que lhe permite ter tempo e segurança para escolher o melhor pai-criador para os seus filhotes e sem aquela preocupação com o prazo de validade do seu corpo... Pense bem, não se deixe influenciar e aja de acordo com as suas escolhas...

Perdendo tempo com dúvidas, querelas e o passado


Eu namorei uma menina por três anos foi a minha primeira namorada e a gente se amava muito, mas com o tempo eu fui mudando, ela reclamava que eu não dava mais atenção a ela, eu acreditava que o nosso amor era infinito e que não terminaríamos nunca... Quando fomos morar juntos era uma maravilha eu achava que estava tudo bem e não percebi que eu estava perdendo ela, acho que caímos na rotina não trocávamos mais carinho, beijos e abraços eram cada vez mais escassos, ela queria sair e eu só queria ficar em casa, quando ela conseguia me convencer a sair eu estava sempre com a cara amarrada, até que um belo dia ela me disse que não me amava mais e que iria sair de casa, conversamos e decidimos dar um tempo, pensei que logo ela voltaria atrás, mas fiquei sabendo que ela estava saindo com outro cara, isso em menos de cinco dias de separação, não acreditei no que estava acontecendo como ela foi me trocar por outro tão rapidamente... Passaram-se duas semanas do nosso tempo e ela mandou-me uma mensagem dizendo estar arrependida, que gostava muito de mim, que havia se enganado com o outro cara e que era eu que ela queria... Combinamos então de nos encontrar para conversar, foi então que ela pediu chorando para voltar comigo e que nos podíamos mudar e fazer dar certo, como eu ainda gostava dela aceitei e voltamos, o tempo foi passando e notei que nossa relação não era mais a mesma e terminei... Agora ficamos de vez enquanto, mas sei que não sou o único e isso me deixa com muita raiva, o pior disso tudo e que gosto dela, porém sei que a nossa relação está ruim, queria ficar com ela como antigamente, mas sei que isso não é possível, então queria de alguma forma esquecê-la ou aceitá-la com todas essas mudanças...

 
Você achou que só o amor bastava e negligenciou dos cuidados com a amada, com isso ela viu em outro a possibilidade de ser feliz e tentou trocá-lo, mas para a sua sorte esse mancebo que usou das suas falhas como companheiro e das carências dela para conquistá-la, não foi homem o suficiente para assumi-la, ele queria apenas uma aventura com uma mulher comprometida e quando se viu acuado com o rompimento de vocês se acovardou e fugiu do compromisso, fazendo com que ela se arrependesse e voltasse para você... Mas com a sua inexperiência você não conseguiu realmente perdoar e queria que a relação voltasse a ser como era e com isso não conseguiu ser o porto seguro que ela almejava e novamente vocês terminaram... Essa situação em que você está vivendo só prova que o amor por si só não sustenta uma relação, na teoria tudo é simples e muito bonito, “Eu te amo, você me ama, vamos ficar juntos para sempre”, mas não é bem assim que uma relação sobrevive, é preciso esforço, dedicação, companheirismo, conversa, sexo, amizade, foco, carinho, fidelidade, respeito, abdicação, objetivo, entrega, etc. Agora!!! Se você quer uma chance para que dê certo com ela, terá que começar do zero, esquecer o passado e dar um início diferente; é preciso uma boa conversa e principalmente realizar o ato de perdoar para seguir em frente... Se por acaso você conseguir recuperar essa mulher, lembre-se que o amor é como uma plantinha que tem que ser regada todos os dias com palavras e atitudes... Se você a ama, perdoe de verdade e vá para cima, reconquiste-a, porque nesse esquema de “ficante” você dá dando mole para o azar e logo, logo ela vai arrumar alguém que lhe dê segurança e aí; você dançou de vez... Por isso não fique parado pensando no que poderia ser, faça acontecer, pois é melhor se arrepender de ter tentado do que choramingar por lembranças de um futuro que poderia ter dado certo...

segunda-feira

Procurando uma luz no final do túnel

Olá, Fred!!! Eu tenho 26 anos, sou um cara tranquilo, calmo, trabalho e estudo, conheci uma garota de 25 Anos na internet, somos da mesma cidade, conversamos por três dias e marcamos um encontro... No início foram muitas brigas, mas hoje estamos bem, nesses oito meses em que estamos juntos muita coisa melhorou, ela faz nossos planos para o futuro, como casar, ter filhos... Apesar do meu jeito simples e pacato eu acredito que ela gosta muito de mim... Ela é explosiva, imperativa, experiente e bem madura para idade que tem. Na cama ela gosta de novidades, gosta sempre de variar (acessórios, gel, brinquedos...), por isso dificilmente caímos na rotina... Minha vida com ela está ótima, o problema é que ultimamente ela quer realizar a fantasia de ser a observadora e me ver transando com outra mulher... Eu não achei essa ideia muito legal, mas disse que ia pensar no assunto; agora ela cismou de querer me levar para uma casa de swing e eu com muito esforço, disse que iria, porque gosto muito dela, quero agradá-la e fazê-la feliz. Meu medo é que ela esteja tentando me levar para lá, fazer com que eu transe com alguém e depois ela também queira transar com outro cara. Acho que ela está armando. Ela me disse que está só me testando para ver se eu vou aguentá-la após o casamento. Ela é muito controladora e exigente. Tenho medo que após casarmos ela me obrigue a aceitar esse tipo de coisas.

Garotão!!! Não se deve fazer nada contra a vontade, nem mesmo para agradar... Para qualquer tipo de proposta tem que haver um consenso, senão apenas um irá ganhar com a situação e o outro estará fazendo o que não gosta para não perder essa pessoa, tornando-se submisso na relação...  Pelo que eu vi no seu relato o seu relacionamento é baseado em sexo, por isso eu acho que esse relacionamento está fadado ao fim, pois não há alguém que tenha tanta imaginação sexual para inventar safadezas por uma vida inteira, um dia vocês irão cair na rotina e aí que o bicho vai pegar, porque se não foi plantado a confiança, o respeito, amor, fidelidade, sinceridade, a cumplicidade, a amizade, etc. Não tem como levar adiante essa relação... Se você me perguntasse o que eu penso; eu diria vá em frente, a vida é uma só e adquirir experiência nunca é demais, mas sem agredir seus valores, suas ideias, crenças, seus desejos, etc. Aproveite a vida que você tem agora ao lado dela, porém não case com essa moça, o seu amor por ela não dá conta de alimentar os dois, é preciso que ela o ame também e saiba respeitar os seus limites, se você está em dúvida é porque algo o aflige, além disso, você não confia o suficiente nela, pois acredita que ela está armando essa aventura para pegá-lo desprevenido... Eu não a vejo somente como a controladora e exigente; vejo-a também como a egoísta, manipuladora e chantagista que te pressionou com um teste, que nas entrelinhas significa; “ou dá conta dos meus desejos ou você será um chifrudo”... Na relação tudo o que é bom é feito para os dois, enquanto houver harmonia e o acordo for bom para ambos é válido, quando chegar a hora do destrato cada um que siga o seu caminho...

terça-feira

Desperdiçando lágrimas


Fred!!! Tenho 35 anos e faz cinco anos que mantenho um relacionamento com um homem 15 anos mais velho do que eu, quando nos envolvemos se separando da esposa. Sempre estávamos juntos e quando não nos víamos falávamos por telefone ou mensagens. O Nosso relacionamento era muito intenso e fazíamos planos de casar, ter filhos e viajar. Vivemos muitos momentos especiais e felizes. Ele me apresentou a família dele e eu apresentei a minha. Após a conclusão da separação dele passamos por momentos difíceis a ex. não o deixava ver os filhos e sempre discutiam e eu sempre ao lado dele para ampará-lo e apoiá-lo... Ele era muito especial na minha vida e eu estava cada vez mais apaixonada por ele. Mas depois que fizemos dois anos de relacionamento ele começou a mudar, ficar distante e cada vez mais afastado de mim, não tínhamos mais aquele contato diário, ele não atendia as minhas ligações e eu sem entender o que estava acontecendo, tentei conversar com ele, mas de nada adiantou, ele estava fechado e eu perdida sem saber o que fazer para a nossa relação voltar a ser como era. Enquanto eu chorava ele dizia que lamentava por me fazer sofrer e que estava passando por vários problemas e não me dizia quais eram para que eu pudesse ajuda-lo como já o fizera outras vezes. Eu sou uma pessoa decidida, não costumo esmorecer diante das dificuldades, mas ele não me dá uma chance para reverter essa situação e aos poucos, fomos nos distanciando e agora nos falamos esporadicamente por mensagens. Não entendo sem nem uma razão ele me dispensou, sumiu da minha vida, meu coração dói profundamente e acho que não vou aguentar essa tristeza que tomou conta de mim, não consigo trabalhar e não saio mais de casa para nada é uma dor sufocante, choro de soluçar, não tenho vontade de comer e penso que não a mais razão para viver sem ele. Não sei o que fazer. Nunca pensei que um amor tão grande por uma pessoa me causasse tanta dor.

 
Estou vendo que esse mancebo te destruiu, a sua sorte é que o tempo vai te amparar, mas você precisa dar uma ajudinha para esquecer esse “borra botas”... Eu pergunto: De que adianta ficar em casa chorando pelos cantos por um homem covarde que não merece respeito e muito menos essa adoração pós-termino, basta de homens vampiros que só querem, querem e querem, sem dar nada em troca... Ele não vai voltar e nem quer saber o que está se passando na sua vida, na certa ele seguiu caminho e está feliz com outra pessoa... Você precisa fazer o mesmo, talvez você não consiga sozinha, então procure ajuda, o que não pode e se abater trancada em casa acumulando lágrimas... Não é vergonha pedir ajuda, pode ser para amigos ou familiares e senão der certo, procure o auxílio de um especialista, ele está preparado e vai ajudá-la a recuperar a sua autoestima que se perdeu ao final dessa relação por causa de um covarde egoísta, que quando necessitou, você estava ao lado dele para ampará-lo e quando você apenas precisou que ele apresentasse uma razão para o fim, ele virou as costas e covardemente fugiu se escondendo atrás do silêncio, deixando que tudo se acabasse aos poucos, torturando a sua mente, minando a sua confiança, o seu amor próprio e destruindo a sua autoestima... Lembre-se o tempo é forte e cura os males do amor, mas sozinho fica difícil, por isso você precisa retomar a sua vida, saindo com amigos, vivenciando o trabalho, os estudos, viajando e aprendendo a se amar... Com tudo isso que você passou dá para tirar algumas lições valiosas, como: Não entregue a sua vida para alguém cuidar, não faça a sua felicidade depender de um amor ou de uma relação, faça por você antes de fazer pelo outro, conquiste primeiro a sua felicidade para depois somar com a do próximo... Aproveite essa desilusão amorosa para repaginar a sua vida, mude o seu status de triste para uma mulher segura de si, com amor próprio, que é feliz sozinha e que o amor serve para acrescentar, somar e não para dividir ou sugar... Levante dessa cama molhada de lágrimas, arrume esse cabelo, coloque uma roupa nova, mude o seu visual, e caia na farra despretensiosamente, mas faça essa mudança sorrindo para o destino que ele logo irá sorri de volta para você com uma linda surpresa para aplacar o seu coração...

Se continuar acomodada passará a vida cuidando de velhinhos e sem amor próprio


Olá!!! Eu tenho 37 anos e há oito meses moro sozinha. Antes eu morava com a minha irmã e com a minha mãe, eu sempre cuidei e sustentei as duas, mas agora devido a uma intercorrência minha mãe vive em uma instituição e a minha irmã se casou e foi morar no nordeste, por isso estou morando sozinha. Estou me adaptando bem, tenho muitas amigas e faço muitas atividades. Mas, sempre senti falta de uma pessoa para viajar e curtir a vida ao meu lado, pois nunca tive muita oportunidade, pois tive que cuidar da minha mãe doente... Tive um namorado por sete anos e depois que terminamos nunca mais emplaquei um relacionamento duradouro. Há pouco tempo, conheci um homem de 56 anos, cunhado de uma amiga, que quer namorar comigo com o intuito de casar e ter filhos. Confesso que não acredito muito, estamos almoçando aos sábados como amigos e ele diz que só tentará algo comigo quando eu me decidir por namorá-lo. Ele não é bonito, mas isso e irrelevante, pois o que me impressiona em um homem é a sua educação e gentileza. Ele é trabalhador, esforçado, respeitador, porém em alguns momentos ele é grosseiro e guarda muitas mágoas do passado principalmente dos três relacionamentos que teve. Não estou empolgada, primeiro porque ele tem 20 anos a mais do que eu, mas não só na idade, ele tem aparência e limitações de uma pessoa idosa, ele se cansa com facilidade, se locomove devagar, tem diabetes ele aparenta ter mais de 70 anos... O segundo empecilho é que ele só fala dos traumas que sofreu em suas relações passadas, que fez tudo pelas relações e sempre foi usado e abandonado. O que me preocupa e que ele pode estar me vendo como a tábua de salvação, a última possibilidade para se agarrar no amor e realizar seus sonhos de se casar e ter filhos... Além disso, ele não gosta de sair e nem de dançar, não gosta de atrasos, já foi alcoólatra e disse ter cometido alguns erros nas suas relações anteriores. Eu não sou uma mulher linda, tenho pouca experiência em relacionamento, a minha relação mais duradoura terminou por causa de traição, tenho dificuldade de gostar de alguém e principalmente tenho medo de entrar em uma relação e ser tolhida da minha vida, da minha liberdade. Eu não quero por enquanto ter que novamente cuidar de alguém, meu pai logo irá precisar de mim, não tenho ninguém para me ajudar minha irmã está longe e não temos mais nenhum familiar, por outro lado tenho medo de perder esse homem que diz gostar tanto de mim. Nunca tive um relacionamento recíproco, no meu namoro eu não tinha certeza dos meus sentimentos só depois que terminamos descobri o quanto eu o amava. Tenho medo de tentar este relacionamento e queimar 20 anos da minha vida por um homem que talvez só queira uma cuidadora. Ele diz que com 37 anos, eu precisava pensar em ter alguém e que ele queria fosse ele... Tenho medo de aceitar a oferta e me arrepender, porque depois para sair é sempre muito difícil ou não aceitar e as previsões dele se concretizar eu acabar sozinha. Espero que você consiga me ajudar. Não quero me precipitar.

 
Um relacionamento com amor já é difícil, imagina sem!!! Para isso é preciso que se destaquem alguns outros atributos como: respeito, admiração, confiança, orgulho, euforia e a vontade de ter algo a mais com esse mancebo que por sinal não vejo nenhum desses predicados em sua narrativa, vejo apenas desespero, medo e preocupação, mas em compensação quando você fala da sua solteirice existe empolgação, satisfação, alegria, etc. Se eu fosse você eu arriscaria, mas não pela convivência a dois e sim pela sua vida única e particular até que por um acaso da vida você seja contemplada com um parceiro que corresponda as suas expectativas e você as dele... Pode ser complicado, pode ser demorado, mas eu garanto que o seu par está por aí te procurando e se você estiver em uma relação errada, pode ser que ele nunca te ache... Vamos agora falar um pouco de você: Tu acreditas que não sabe amar e que não consegue sentir o amor, porém o que não sabe é que o amor surge em sua vida, não se pode impor ou simplesmente querer amar, não se tem o controle e às vezes esse sentimento não é tão bom, pois pode ser cruel, desorientador, manipulador e transformador. Por isso o amor é um sentimento diferenciado para cada pessoa, ninguém sente amor igual, ele se manifesta de várias maneiras, podendo ser avassalador como um terremoto ou calmo como uma lagoa... Mas o que importa é sentir prazer ao lado do outro, é querer vê-lo, é querer estar ao lado do seu companheiro independente dos problemas do dia a dia, é almejar um futuro, é pensar em formar uma família, é desejar trilhar o caminho da velhice ao lado dessa pessoa, é estar bem consigo mesma, é ter liberdade para amar e ser amada sem cobranças, limites e ciúmes doentios... Por isso eu digo que se você não sentiu nada do que eu relatei acima e porque o amor ainda não bateu na sua porta, então não arrume supertefugio para obter a felicidade, não dá para comprar e nem enganar a felicidade, cedo ou tarde ela virá cobrar os dividendos... Não force uma situação, não comece uma relação onde o único futuro que você vislumbra é o de cuidadora de idosos, você já teve o seu calvário, está na hora de ser um pouco egoísta e passar a cuidar de você mesma e para que isso possa acontecer não será ao lado desse velho senhor ou desse senhor velho... rs. Busque sempre a sua satisfação e não se deixe cair em chantagens do tipo; se não ficar comigo irá terminar sozinha... Se for para ficar sozinha, seja uma andarilha de sonhos concretizados para o seu bel prazer, como: viajar, sair com amigos, dançar, bebericar, ler, conversar, trabalhar, se jogar na vida, ou qualquer coisa que tiver vontade de fazer... Duas frases para você se apegar e ponderar: “antes só do que mal amada” e “para ser feliz a dois é preciso primeiro ser feliz sozinha”...

segunda-feira

Agiu sem pensar e ficou em uma sinuca de bico


Sou casada há nove anos, um casamento quase que perfeito, sem brigas, um homem muito bom que sempre fez de tudo por mim, mas que trabalha muito e por isso vivo muito sozinha, parece que apenas dividimos a casa. Só nos vemos na hora do almoço e aos fins de semana. Ano passado conheci um rapaz, e começamos um rolo e tem sido muito bom, mas aconteceu o que é inevitável nos apaixonamos, desde então ele me cobra para deixar meu marido e ficar com ele, fui levando a situação enquanto pude, ate que ele cansado de me esperar tomar uma decisão começou a sair com outra pessoa, fiquei louca de ciúmes e surtei, sai de casa e fui tentar viver essa paixão com ele... Faz quase um mês que sai de casa, aluguei um quarto e estou morando sozinha. O Problema é que a minha família não aceita, minha mãe morre de chorar, o meu marido também ficou muito mal e está difícil segura onda, estou com medo de me arrepender, de ter sido precipitada e ter tomada a decisão errada... No final de semana pedi um tempo para o rapaz, decidi ficar sem os dois para ver realmente quem faz falta em minha vida, mas está bem complicado, gostaria de ouvir a sua opinião porque a bagunça dentro de mim está me matando.

 
O que você devia ter feito era conversar com o seu marido e exposto os seus problemas conjugais, por exemplo, a solidão que sentia durante o relacionamento... Vejo que você se precipitou quando jogou tudo para o alto, sendo essa uma atitude irracional motivada pelo ciúme e não pelo amor, mas os dados já foram lançados, o importante agora é você definir se você ama ou não o garotão ou se quer voltar para o seu marido por um amor que ainda nutre por ele... Pelo menos você acertou na decisão de dar um tempo com os dois para por a cabeça no lugar e agir um pouco mais com a razão ao invés da emoção... Próximo passo é saber quais são as suas opções: vou lhe dar uma ajuda com algumas... 1ª opção: O seu marido a quer de volta ou não, 2ª opção: O galalau quer realmente assumir você ou é apenas fogo de palha, 3ª opção: Ficar sozinha é curtir a solteirice até arrumar uma opção melhor que os dois... rs. Depois de analisar as opções, decida-se através da razão + coração + virtudes e atributos com qual dos pretendentes prefere ficar... Lembre-se que existe uma diferença entre o tempo de convivência; um deles você conhece por no mínimo nove anos e a relação ficou desgastada e sem a conversa e os encontros caiu na rotina do dia a dia, já o outro você conhece há pouco tempo, tudo é novidade e ainda estão na fase do conhecer, um quer agradar ao outro, esconder ao máximo seus defeitos enaltecendo suas qualidades e nunca moraram juntos para ver se existe cumplicidade, companheirismo e sintonia... Estou bondoso hoje e vou lhe dar outra situação: Você pode deixar os amigos próximos e familiares palpitarem, mas lembre-se que a decisão é sua e o que você decidir pode mudar o rumo da sua vida para melhor ou pior, por isso escute-os, absorva o que for importante e estabeleça a sua própria opinião. Se você optar em voltar para casa e seu marido aceitá-la de volta, aproveite para esclarecer devidamente os pontos e os motivos que a fizeram tomar a iniciativa pelo abandono do lar, peça para ele mudar e faça você o mesmo, exigindo garantias diárias até que a mudança se torne uma constante em sua relação. Lembre-se que o retorno à casa só dará certo se o passado for esquecido e não houver fagulhas de vingança e rancor da parte dele, porque a palavra perdoar é fácil de falar, o problema e fazer com que essa expressão tenha valor real...

terça-feira

Comprando amor


Olá Fred!!! Namorávamos a distancia e resolvemos unir os trapos, então ele veio morar comigo, mas durou apenas 22 dias, porque ele não conseguiu arrumar emprego e não estava à vontade para continuar dependendo financeiramente de mim...  Ele voltou para a casa dele e continuamos a nos comunicar via “zapzap” e pelo telefone... Passaram-se duas semanas ele entrou em uma sociedade com o primo e disse que estava ralando muito no trabalho, com isso deixou de falar comigo frequentemente e só se comunicava comigo quando eu o procurava e mesmo assim demora uma eternidade para responder... Tentei terminar a relação, mas ele não deixava e dizia para eu ter paciência, aceitei a situação e fui levando da melhor maneira possível até que um pouco antes do carnaval ele pediu um tempo na relação. Ficamos dez dias sem nos falarmos, resolvi então terminar o relacionamento, mas o problema é que ele está me devendo uma grana e agora que terminei eu só falo com ele para cobrar o que ele me deve e foi em uma dessas cobranças que ele me pediu perdão e pediu para voltarmos, falou ainda que se eu aceitá-lo de volta, ele daria prosseguimento ao plano de morarmos juntos... Disse a ele que não confiava mais e que precisava de um tempo para pensar no assunto. Durante esse tempo para pensar ele estava cheio de mimos, carinhos e gentilezas para comigo, foi quando ele me contou que a sociedade não tinha dado certo e que se não voltasse comigo o plano dele era fazer um curso e se tornar barbeiro... Após pensar resolvi voltar e ele se matriculou no curso e que viria morar comigo logo que o curso terminasse, (quase cinco meses de curso) fiquei irritada, pois não era o combinado... Não demorou muito para que tudo voltasse como era antes ele mandava mensagens esporádicas e eu correndo atrás dele, até que fui para cima e quis saber o que estava acontecendo e ele grosseiramente me respondeu que estava quase sendo despejado, que estava cheio de problemas e que não era hora para falar e nem pensar em relacionamento... Perguntei a ele porque não falava comigo a noite depois do trabalho para desabafar e ele disse que não se sente digno por não conseguir pagar as próprias contas, que estava entrando em depressão e não tinha vontade de falar com ninguém... (mas sempre o vejo online). Por fim não entendo o porquê dele não aceitar vir morar comigo eu tenho uma situação estável e podia ajudá-lo no inicio até ele se estabilizar, mas eu não vou dar grana a ele morando em outra cidade... Depois de alguns dias ele me pediu desculpa por ter se exaltado e que iria pensar na minha proposta e se despediu com um "eu te amo”... Agora já faz uma semana e ele não fala comigo, não sei que namoro é esse onde ficamos sem nos falar por tanto tempo, o aluguel dele vai vencer e sei que ele não tem dinheiro para pagar, não sei se ligo para ele, queria ajudar, mas não sei como... Começo a acreditar que tudo não passa de historinha dele para me sensibilizar. Não sei se ele quer terminar e não tem coragem ou se ele tem vergonha de ficar comigo por não ter condições financeiras para manter uma relação saudável ao meu lado...

 
Você está em uma relação nociva e não se deu conta disso... A sua relação é como estar em areia movediça quando mais você se mexe mais afunda... No seu inconsciente você tentou comprar essa relação quando emprestou dinheiro a ele, foi uma tentativa de amarrá-lo a você, fazer dele um devedor não faz com que ele a ame e sim o que está acontecendo no momento, ele pouco conversa e te dá atenção porque sente o peso da dívida, se não fosse por isso ele não estaria mais com você... Não dá para ter uma relação sendo carente do jeito que você é... Você precisa estar bem consigo mesma, ter confiança e autoestima elevada para poder se relacionar, não dá para ficar a mercê de uma relação afundada na lama, onde você o seduz com a sua estabilidade financeira, tentando trazê-lo para o seu convívio com a promessa de bancá-lo por um determinado tempo, lembre-se que isso já foi feito e não deu certo e ele acabou voltando para casa... Você tem que saber quando uma relação não tem futuro, seja ela por problemas emocionais, financeiros, intelectuais, social ou mesmo por afinidade e no seu caso mais de um desses atributos está caracterizado nesse suposto relacionamento... Está na hora de você parar de insistir nessa relação tortuosa e abraçar uma nova vida com outra pessoa e para isso você tem que sair desse relacionamento enquanto o seu prejuízo é apenas financeiro. Lembre-se quem empresta não tem garantia de nada, por isso aguente o tranco e não o procure mais, diga a ele que está livre da dívida e que se um dia alguém precisar faça o mesmo por essa pessoa, como se fosse uma corrente de ajuda... Com isso você lava a sua alma para poder seguir em frente. Não acredite naquele papinho do bom moço de que ele foi embora da sua casa para você não bancar a vida dele... Primeiro, se fosse assim ele não pediria dinheiro emprestado; Segundo, ele desistiu rápido demais, pois em 22 dias que emprego ele arrumaria, se está tão fácil assim, ele precisa passar a receita para a população brasileira... Vou mandar “a real” para você!!! Na verdade ele foi testar e experimentar a relação, mas não gostou da brincadeira de casinha com você, porque se ele estivesse realmente afim, a barreira financeira não iria impedi-lo de ficar ao seu lado, então se esqueça dele e pare de querer boicotar a sua felicidade tentando se afundar nesse relacionamento sem futuro, onde não vejo satisfação da sua parte, apenas dedicação, frustação e comodismo... “Para ser feliz a dois é preciso aprender a ser feliz sozinha”...