quarta-feira

Liberte-se das relações nocivas

Boa tarde!!! Tenho 24 anos e estou apaixonada por uma pessoa desde os meus 13 anos; no começo ele me rejeitava, dava uns beijinhos e depois não queria mais saber de mim... Eu insistia e me humilhava; até que com 15 anos consegui namorar com ele; fazia de um tudo para agradá-lo, perdi a virgindade, me anulei, não usava decotes, saias curtas e nem maquilagem; aos 16 anos engravidei e descobri suas mentiras e traições, mas eu continuava apaixonada, um amor doentio... Com o nascimento do nosso filho o relacionamento desandou de vez; resolvi então ir atrás do meu sonho; ganhei uma bolsa de estudo e comecei a fazer faculdade, mas por causa do ciúme dele fui pressionada a decidir entre a faculdade ou o nosso relacionamento; optei pela faculdade e nos afastamos... Mesmo separados continuávamos nos vendo para que ele tirasse o “atraso” e com isso me impedia de conhecer novas pessoas... Foi quando bateu o arrependimento por ter escolhido a faculdade e tentei reatar com ele; fui rejeitada, entrei em uma depressão profunda, engordei e não queria saber ou fazer mais nada, o que importava na minha vida era correr atrás dele... Resolvi dar um basta na vida que eu estava levando; fiz um tratamento com antidepressivos, comecei a trabalhar, emagreci, voltei para faculdade e não quis mais saber dele... Enquanto isso ele teve mais um filho, se envolveu com drogas e não me pagava à pensão... Tentei outros relacionamentos, sem sucesso, tenho muito ódio e mágoa dele por tudo o que me fez sofrer, ele não se importa com o nosso filho que hoje tem 7 anos, ele é como uma doença que me impede de ser feliz... Estou cansada das baladas, quero sossegar, namorar e ter uma família... No momento estou em um relacionamento de cinco meses com um “cara” de 24 anos, recém separado e com um filho de um ano, que é acomodado e não tem iniciativa; ele diz que sou perfeita, que me adora, mas não quer nada sério por enquanto... Eu sinto que ele gosta de mim e sei também que ele está me enrolando, mas estou completamente apaixonada e não sei o que fazer? Sou muito bem resolvida, sou formada, tenho um trabalho ótimo, todo mundo me considera uma mulher de fibra, mas quando o assunto é sentimento, eu sou uma criança imatura que não sabe qual rumo tomar... Sou muito ciumenta, possessiva, carente, preciso o tempo todo ouvir “eu te amo”, mas por ele não estar por inteiro nessa relação eu sofro demais...

A sua sorte é que você está viva e ainda dá tempo para ser feliz...rs. Você precisa assumir e ter consciência dos seus erros, senão nunca conseguirá exorcizar os relacionamentos do passado... Pare de sofrer e de se apaixonar por qualquer traste que lhe sorri na rua, tenha objetividade antes de se relacionar, conheça, fique, converse, namore, beije, experimente... Não se deixe levar pela emoção, não se submeta aos caprichos de nenhum homem, busque um pouco da razão e dessa fibra que você diz ter e aplique em seus relacionamentos e não me venha com esse papinho de amor doentio; porque se eu tenho uma louca desvairada atrás de mim eu fujo e desapareço da face da terra...rs. Nunca deixe nenhum homem colocá-la para baixo; não se deixe menosprezar, seja firme e forte, se ele não te quer não insista!!! Não dá para forçar o amor, aprenda a desistir de quem não te quer, procure uma pessoa que esteja na mesma sintonia que você, pode até demorar, mas tenha paciência!!! Enquanto o seu amor não vem, procure o que fazer, vá descascar batatas, ir a praia, descansar, chupar mexerica, sair com amigos, contar estrelas, beliscar paredes ou realizar qualquer sonho que adiou devido a essas relações ruins que “você escolheu” para a sua vida... Acorde!!! Seja egoísta, cuide de você e nunca atrele o seu bem estar e a sua felicidade a qualquer tipo de relacionamento...

Um comentário:

Andréa Costa disse...

Quem sabe o valor que tem, não perde tempo com quem não vale a pena. O amor próprio tem que vir sempre em primeiro lugar, senão desanda....O problema da maioria das mulheres, é justamente essa necessidade de estar amando, algumas vezes, a qualquer preço. Tô fora!